Notícias UPF

Hiperferritinemia e Hemocromatose Hereditária pautam handbook da UPF

  • Por: Assessoria de Imprensa HSVP Edição: Assessoria de Imprensa UPF
  • Fotos: Reprodução

Trabalho foi desenvolvido em parceria com o Hospital São Vicente de Paulo e o Hospital de Clínicas de Porto Alegre

A informação é peça chave no diagnóstico precoce, na prevenção e no tratamento de doenças. Levar à conhecimento da comunidade, de forma clara e com uma linguagem simples, o que são e como cuidar de algumas doenças evita diversos prejuízos à saúde. É pensando nisso que a Universidade de Passo Fundo (UPF), em parceria com o Serviço de Hemoterapia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), lança um handbook (manual) sobre Hiperferritinemia e Hemocromatose Hereditária, com dicas, orientações e dúvidas rápidas sobre as doenças.

O handbook, que tem o intuito de orientar as pessoas, está disponível no formato on-line e foi desenvolvido dentro do Programa Gestão e Promoção do Conhecimento Médico via Desenvolvimento de Serious Games Aplicados a Formação Médica e Gerontecnologia do Programa ComSaúde - Projeto Doação de Sangue, da UPF. Com o objetivo de responder rapidamente e de maneira descomplicada dúvidas dos pacientes, familiares e equipes de saúde a respeito da Hiperferritinemia e da Hemocromatose Hereditária, o material é ilustrado pelos acadêmicos de Medicina participantes dos projetos, tornando a leitura mais dinâmica e atrativa.

A Hiperferritinemia e a Hemocromatose Hereditária
A ferritina é liberada pelo corpo quando há inflamação. Em 90% dos casos, o aumento pode ser associado ao consumo excessivo de álcool, inflamação, morte celular ou síndrome metabólica. Isso causa a Hiperferritinemia. Apesar disso, em alguns casos raros, pode ocorrer em função do excesso de ferro, causado por uma doença chamada Hemocromatose. Conforme o handbook, a Hemocromatose Hereditária é uma doença genética que predispõe a uma maior absorção do ferro da alimentação pelo intestino. Esse excesso de ferro irá se acumular no organismo, podendo causar graves lesões nos tecidos, como lesões no fígado, cirrose ou câncer, e também em outros órgãos, como no pâncreas e coração.

Nos casos iniciais, a Hemocromatose é, na maioria das vezes, assintomática, podendo apresentar cansaço, dor abdominal, dores nas articulações e impotência sexual. Em casos avançados, pode haver a pigmentação da pele de uma tonalidade bronzeada, dores e inchaço nas articulações, diabetes, cirrose e falência cardíaca. Ela pode ser detectada por meio de exames de rotina.

União da pesquisa e da extensão
Conforme a professora do curso de Medicina da UPF e hematologista e hemoterapeuta responsável técnica do Serviço de Hemoterapia do HSVP, Me. Cristiane Rodrigues do Araújo, esta doença, muitas vezes, pode ser sub diagnosticada, por isso, além do handbook, o HSVP e o HPCA estão realizando trabalhos de pesquisa científica em conjunto sobre este tema, incluindo a avaliação da prevalência da Hemocromatose Hereditária nas diferentes regiões de atendimento dos Serviços de Hemoterapia do HSVP e HCPA. “Este projeto une pesquisa, prática e extensão, fazendo um elo completo do aprendizado e cuidado. É gratificante saber que estamos pesquisando para cada vez melhorar o atendimento, ensinando e aprendendo e também levando mais informação, prevenção e saúde à comunidade”, enaltece Cristiane.

Experiência acadêmica
A produção do handbook contou com o envolvimento de estudantes do curso de Medicina da UPF. Dentre eles, está Fernanda Carlotto, que conta que o projeto com o HCPA teve início no final de 2018, e que, por meio dele, sempre percebeu-se a importância da união de diferentes serviços e do esforço em equipe para que seja feito um trabalho de relevância.

“No começo, ele apresentava mais um lado científico, mas, neste ano, buscamos fazer um serviço para auxílio a nossa comunidade, o handbook, o qual traz um tira dúvidas tanto para leigos no assunto, quanto para pacientes com a patologia ou médicos que não trabalhem nisso como rotina. O resultado ficou incrível, pois alinhamos tecnologia com a sabedoria e deixamos o material interativo para consulta rápida e fácil leitura. Assim, além de ampliar os conhecimentos da comunidade, fortalecemos ainda mais os nossos. Como acadêmica de Medicina, sei a importância de estar sempre me atualizando e esse projeto me fez despertar ainda mais o interesse sobre esse tema tão relevante”, comenta.

Quem também participou da iniciativa foi a estudante Anna Laura Duro Barp. Segundo ela, o handbook foi proposto com base na necessidade de integrar o conhecimento sobre a Hiperferritinemia e a Hemocromatose Hereditária de uma maneira simples. “No fim, elaboramos um material informativo de forma digital sobre a temática, dividindo-o em três públicos alvos distintos: leigos, equipes de saúde e pacientes com a doença. Estamos muito felizes com o resultado que tivemos e agora planejamos divulgá-lo e publicar o trabalho em jornais específicos da área”, relata.

O handbook está disponível para acesso AQUI.

*Com informações da Assessoria de Imprensa do HSVP.