Notícias UPF

UPF tem apresentada a primeira tese de doutorado em cotutela com universidade da França

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Alessandra Pasinato

O Brasil é um grande importador de fertilizantes, um país essencialmente agrícola que tem buscado novas fontes alternativas para fertilização de solos. Uma dessas fontes foi apresentada pelo doutorando Jackson Korchagin, aluno do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Passo Fundo (PPGAgro/UPF), que estudou e desenvolve a tese “Critérios mineralógicos, químicos e físicos para uso agronômico de pó de basalto hidrotermalizado no sul do Brasil”.

O estudo foi desenvolvido em cotutela com a Universidade de Poitiers, da França, sendo a primeira defesa de doutorado realizada nessa modalidade na UPF. A pesquisa foi apresentada na manhã desta sexta-feira, 23 de março, na presença do orientador da tese e professor da UPF, Dr. Edson Campanhola Bortoluzzi; e da banca formada pelo coorientador da Universidade de Pitiers, Dr. Laurent Caner; pelos professores Dr. Pedro Alexandre Varella Escosteguy, da UPF; Dr. Danilo Rheinheimer dos Santos, da UFSM; Dra. Sophie Cornu, da INRA/CEREGE; e Dr. Pierre Barré, da Universidade de Poitiers.

Conforme Korchagin, uma das fontes alternativas para fertilização de solo é a aplicação de pó de rocha na agricultura. “Escolhi trabalhar com rejeitos da indústria de mineração de Ametista”, conta ele, que, por dois anos, fez pesquisas na UPF em desenvolvimento agronômico e por quase dois anos esteve na França, desenvolvendo a parte mineralógica e de geologia.

Parceria de sucesso

Para Bortoluzzi, que além de orientador da tese também coordena o PPGAgro, esse foi um projeto importante, pois permitiu a mobilidade de estudantes e de pesquisadores do Brasil para a França e a produção de artigos científicos e de ciência em conjunto. “Finalizamos o projeto com o nosso primeiro doutorando em cotutela da UPF”, destaca.

Sobre o tema, ele pontua que existe uma exploração mineira muito forte na região de Ametista do Sul, com um passivo ambiental grande - que são os rejeitos de rocha basáltica. “O trabalho do nosso aluno foi estudar essas rochas basálticas para uma utilização racional na agricultura. Todo o trabalho dele está calcado em cima de uma questão ambiental e de uma questão agronômica para resolver um problema do nosso estado”, enfatiza.

A apresentação da tese foi realizada em francês e a participação dos professores franceses se deu por meio de videoconferência, realizada pela equipe da UPF Virtual, divisão responsável pela EaD da Instituição.