Notícias UPF

UPF: a força do conhecimento no combate a Covid-19

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Somando forças ao poder público e a instituições de saúde, Universidade cumpre seu papel comunitário por meio de diversas ações de prevenção e combate à doença

Somos grandes, pois somos coletivos. Fomos construídos por muitas mãos, constituídos por muitas lutas e sonhados por muitas mentes. Somos comunitários. E ser uma instituição comunitária é incorporar os fundamentos e os objetivos de um projeto coletivo regional. Como instituição pública não estatal, nosso patrimônio pertence à comunidade na qual estamos inseridos. Por esse motivo, nós, da Universidade de Passo Fundo (UPF), estamos somando forças em diversas frentes no combate a pandemia da Covid-19.

A reitora da UPF, profa. Dra. Bernadete Maria Dalmolin, reitera o papel da Universidade em aliar o conhecimento para solucionar os problemas que estamos enfrentando.  “A UPF está absolutamente comprometida no apoio ao enfrentamento da Covid-19. Todas as possibilidades que temos para prestar serviços, quer seja na assistência ou na  busca de soluções necessárias para este momento tão delicado, está sendo mobilizada. É hora de esforço coletivo e de solidariedade”, frisa.

Conheça a nossa atuação:

Teleatendimento 
O serviço de teleatendimento ao Covid-19, que já vinha sendo realizado pela Vigilância em Saúde do município, agora foi ampliado, em uma parceria entre a UPF e a Prefeitura de Passo Fundo. Professores e acadêmicos dos cursos da área de saúde da Instituição, junto com profissionais da Secretaria de Saúde, se revezam, das 7h às 22h, todos os dias, para atender a ligações de pessoas que tenham dúvidas sobre a doença, ou mesmo sintomas gripais, que são orientadas e direcionadas, se necessário, ao atendimento. Os profissionais também atuam prestando apoio psicológico nesse momento tão difícil para todos.

Mutirão na produção de máscaras e jalecos  


Outra frente de trabalho importante realizada pela UPF é o auxílio na produção de máscaras e jalecos que são utilizados pelos profissionais da área da saúde no tratamento de pessoas infectadas pelo coronavírus. Professores e estudantes do curso de Design de Moda trabalham de forma voluntária na costura das peças que serão utilizadas em toda a rede de saúde de Passo Fundo. Essa ação reforça a parceira da Universidade com os serviços de saúde, hospitais e prefeitura.

Testes para diagnóstico da Covid-19 
Uma parceria entre a UPF a Prefeitura de Passo Fundo vai proporcionar a ampliação da testagem de diagnóstico do SARS-CoV2. No dia 28 de março, a prefeitura anunciou a compra dos insumos para que a Universidade possa realizar o diagnóstico. O início do trabalho está atrelado ao recebimento destes materiais.

Produção de protetores faciais em 3D 
Por meio da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Governo do Estado, a UPF recebeu o convite para integrar ações de apoio e combate à pandemia. Uma das ações em que funcionários e professores da Universidade estão atuando é no grupo “Todos pela Saúde”. Neste grupo, o trabalho é voltado para a produção de protetores faciais em 3D. O uso destes protetores  transparentes é de extrema importância para os profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente no combate ao Coronavírus.

Comitê de Orientação Emergencial
A UPF também está representada no Comitê de Orientação Emergencial (COE), criado pela Prefeitura para definir estratégias de enfrentamento a doença, que conta com a participação do diretor da Faculdade de Medicina (FM) Dr. Paulo Reichert. Além disso, muitos estudantes da Instituição estão trabalhando também em diferentes serviços de saúde como hospitais, Unidades Básicas e no centro de referência para atendimento ao coronavírus montado no Cais Petrópolis.

Protótipo de automatização baseado na ventilação manual de emergência -
Desde o início da pandemia da Covid-19, a comunidade hospitalar vem recebendo com muita preocupação as notícias do avanço da doença. A principal angústia está relacionada à superlotação de hospitais, sobrecarregando as áreas de atendimento de urgência, especialmente UTIs. Em função dessa necessidade, várias frentes de trabalho iniciaram no Brasil inteiro para desenvolver alguns desses equipamentos, gerando alternativas em caso de desabastecimento geral. Em Passo Fundo, um grupo de técnicos, engenheiros e profissionais da saúde da Universidade de Passo Fundo (UPF), do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e do Instituto Federal Sul (IFSul) vem trabalhando no desenvolvimento do protótipo de um equipamento que automatizasse a ventilação pulmonar realizada pelo ambu, e que serviria como alternativa em caso de um cenário grave de falta deste tipo de aparelho.

A ideia do protótipo foi baseada na ventilação manual de emergência, em que o profissional da saúde manipula manualmente um instrumento chamado ambu, para ventilação mecânica de um paciente. A tarefa foi automatizar este processo através de um sistema servocontrolado, que impulsiona o ambu de maneira automática. O protótipo foi criado em apenas cinco dias no Núcleo de Eletrônica do curso de Engenharia Elétrica da UPF e já está em fase final de desenvolvimento, sendo testado com analisador específico, com medição de alguns parâmetros fundamentais, como o volume de ar e pressão administrada ao paciente.

Feira on-line 
Para auxiliar os agricultores que vendem seus produtos na Feira do Pequeno Produtor de Passo Fundo – que está fechada neste momento – empresas ligadas à Rede de Inovação Conecta UPF criaram um site que possibilita que produtores continuem vendendo seus produtos, garantindo, assim, sua renda e o acesso da população a estes produtos. No site www.feiradopequenoprodutor.com.br é possível encontrar, entre outros produtos, frutas, verduras, legumes, temperos, massas, biscoitos, geleias e erva-mate. Os pedidos são feitos pela plataforma e caem em uma central. A partir daí são disparados para os feirantes, conforme a demanda de produtos. A parte seguinte é a entrega aos clientes. Ela é feita duas vezes por semana, às quartas-feiras à tarde e aos sábados pela manhã.

Rede de cuidado UPF 
Além dessas iniciativas, a UPF também criou uma frente pensando nas necessidades dos seus acadêmicos. A Rede de Cuidado UPF oferece espaços virtuais institucionais dedicados a disponibilizar informações e oferecer um ambiente de fala e escuta. Ela é direcionada a todos os estudantes da graduação e pós-graduação da Universidade e, ainda, está aberta ao público em geral que deseja compartilhar um ambiente de aprendizagem, acompanhamento e cuidado neste momento sensível que envolve o combate à Covid-19. As ações têm o acompanhamento do Setor de Atenção ao Estudante (Saes).

A Rede oferece duas salas virtuais, disponíveis por meio do Google Meet, em horários e dias da semana pré-estabelecidos. A Sala 1 é chamada de “Plantão do Cuidado” Direcionada aos estudantes que desejam conversar, compartilhar sobre os desafios, aprendizagens e angústias deste momento. Estará à disposição dos estudantes uma equipe de escuta do SAEs da Universidade. Ela funciona às segundas, quartas e sextas-feiras pela manhã, das 9h às 11h; e à tarde das 15h às 17h. A Sala 2 é chamada de “Rede de Aprendizagem” e funcionará como um espaço aberto também à comunidade externa para que se cultive a troca de saberes sobre temas transversais. Estudantes e instituições parceiras da Universidade podem propor salas de discussão abertas aos mais variados temas. Ela funcionará às terças e quintas-feiras, das 18h às 19h.

UPF integra estudo inédito no RS sobre a Covid-19
A UPF também fará parte do primeiro estudo populacional sobre a pandemia da Covid-19 no Rio Grande do Sul. A coleta de dados em Passo Fundo será liderada pela Instituição ao lado da Universidade Federal da Fronteira Sul (Uffs) e da Faculdade Meridional (Imed). A UPF também constitui o Conselho Científico da Secretaria de Ciência e Tecnologia do RS, onde estão sendo concentradas as discussões e encaminhamentos das estratégias adotadas no estado, sobre essa temática. No Conselho também estão sendo alinhadas todas as questões que vão nortear a pesquisa, que tem a coordenação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).  Representam a Instituição no Conselho os pesquisadores da UPF Dr. Luiz Carlos Kreutz e Dr. Luiz Eduardo Spalding.

A pesquisa se propõem a identificar a proporção de casos de infecção, incluindo pessoas sem sintomas, e a evolução da doença por meio de uma amostragem dos participantes nas regiões intermediárias do estado segundo critério do IBGE. Além de Passo Fundo, o estudo será desenvolvido em Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul/Lajeado e região metropolitana de Porto Alegre.

Projeto possibilita impressão 3D de válvula e filtro para respiradores
Antevendo situações que já aconteceram em países que atingiram o pico de contaminação pela Covid-19, o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) buscou o auxílio da Universidade de Passo Fundo (UPF) para preparar a modelagem de componentes que podem faltar se os casos da doença aumentarem abruptamente. Os modelos que estão em fase de finalização poderão ser impressos em 3D em caso de falta. Um deles é uma válvula que permitirá controlar o destino do ar expelido pelos pacientes contaminados, mas que ainda tenham capacidade respiratória; e o segundo um filtro utilizado em respiradores artificiais. A parceria entre HSVP e UPF se dá através da Rede de Inovação Conecta UPF e da Faculdade de Engenharia e Arquitetura.