Notícias UPF

Impacto da saúde bucal no desempenho escolar é analisado em escolas de Passo Fundo

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Projeto é realizado por acadêmicos e professores do PPGOdonto e da Faculdade de Odontologia da UPF desde março de 2018

Problemas de saúde bucal podem estar relacionados com o baixo desempenho escolar de crianças e adolescentes? Essa é a pergunta principal de um projeto que está sendo desenvolvido por estudantes e professores do Programa de Pós-Graduação em Odontologia (PPGOdonto) e da Faculdade de Odontologia (FO) da Universidade de Passo Fundo (UPF) nas escolas do município de Passo Fundo. O projeto “Impacto das injúrias bucais no desempenho escolar", aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade, está em andamento desde março de 2018.

Dados do Ministério da Educação (MEC) mostram o cenário crítico da educação no Brasil e no Rio Grande do Sul. Há um baixo crescimento nos índices de aprendizado e as metas de educação não têm sido alcançadas. Sabendo que a presença de problemas bucais afeta a qualidade de vida dos indivíduos, os pesquisadores da UPF investigam qual seria o impacto no desempenho escolar de crianças e adolescentes.

O projeto ocorre em escolas particulares, municipais e estaduais de Passo Fundo e envolve o exame clínico bucal dos escolares e a coleta de dados por meio de questionários, após o consentimento dos responsáveis. Esses dados, juntamente com as notas dos alunos nas disciplinas de português e matemática, possibilitarão verificar se existe associação entre a saúde bucal e o desempenho escolar. 

A iniciativa é desenvolvida pelos cirurgiões-dentistas e doutorandos do PPGOdonto, Moisés Zacarias Cardoso e Tábata Mariana da Silva, sob responsabilidade da professora Dra. Márcia Borba. Durante o exame clínico, é feito o diagnóstico dos problemas bucais e os escolares são encaminhados para tratamento gratuito na Clínica da Criança e do Adolescente da Faculdade de Odontologia da UPF. Além disso, são realizadas palestras com foco na saúde bucal dessa população.

A professora Márcia explica que existe uma escassez de estudos nacionais avaliando o impacto da saúde bucal no desempenho escolar de crianças e adolescentes. “Dessa forma, torna-se válido realizar um trabalho epidemiológico na região Sul do país e, diante desses resultados, planejar programas de saúde específicos que modifiquem essa situação, devolvam saúde e otimizem o aprendizado dessa população”, ressalta a professora.

O projeto também conta com a colaboração dos professores Dra. Juliane Bervian e Dr. Kaue Collares, e alunos da graduação da FO.