Notícias UPF

Força e determinação para uma mãe acadêmica

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Camila Guedes

Dia das Mães é especial para Stefani Iolanda Gomes de Lima, que é mãe estudante do 7º nível do curso de Pedagogia da UPF

Ser mãe e aluna, ser mulher e profissional, ser filha e sobrinha, ser neta e tia, ser criança e avó. São tantas coisas dentro de uma só. São tantos sentimentos e significados para uma pessoa. Mãe significa afeto, representatividade, força, luta, tranquilidade e acima de tudo amor. Mãe é quem cuida, quem ama, quem protege. E para representar esse Dia das Mães, comemorado no domingo, dia 9 de maio, a Universidade de Passo Fundo (UPF) conversou com uma mãe que também é acadêmica. 

Stefani Iolanda Gomes de Lima é acadêmica do 7º nível do curso de Pedagogia da UPF, além de conciliar os estudos e a vida profissional, é mãe do Anthony de cinco anos. “Ser mãe, profissional e acadêmica é uma incumbência difícil, porém recompensadora. Estudar sempre foi um sonho para mim, e ser mãe foi a imensa alegria que Deus me deu. Quando me deparei com as duas situações, logo pensei: será que darei conta? E hoje, quase finalizando a graduação, me sinto feliz e realizada, pois eu vivi e vivo a Universidade por completo, e em diversos momento encontrei forças na maternidade para continuar os estudos e conciliar todos os afazeres”, comenta.

Stefani com seu filho Anthony de cinco anos

Falar sobre como é ser mãe e ouvir experiências, muitas vezes, não é o bastante. A dimensão disso tudo só ocorre mesmo quando a mulher se torna mãe, cada experiência, assim como cada filho ou filha são singulares. As noites mal dormidas, o cansaço, o estresse por conciliar diversas funções, tudo isso parece ser esquecido quando acontece a troca de carinho, o brilho nos olhos, o sorriso no olhar do teu filho. “Ser mãe para mim não é ser perfeita. Porque, muitas vezes, durante a graduação me senti culpada por dar mais tempo a faculdade e estudos do que a meu filho, porém compreendi que o meu esforço de hoje refletirá nele no futuro. Por isso, ao meu ver, ser mãe é estar disposta a aprender o tempo todo, é evoluir constantemente, crescer com os filhos e por eles, a cada passo, a cada decisão”, afirma. 

“Ser mãe, profissional e acadêmica é uma incumbência difícil, porém recompensadora. Estudar sempre foi um sonho para mim, e ser mãe foi a imensa alegria que Deus me deu”.

Ao longo da história da humanidade, muitas mulheres e mães fizeram história pelos seus posicionamentos, suas ações e por se permitirem transformar. Há muitos exemplos de mães que lutaram muito para garantir a sobrevivência e para realizar o sonho de seus filhos, por isso a data é tão especial e comemorada em todo o Brasil. “ Ser mãe é conhecer a coragem que tens, é permitir sentir-se uma supermãe quando parar e perceber o quanto você dá conta de tudo durante apenas um dia. Ser mãe é passar a noite acordada, mas renovar as energias pela manhã, com um abraço e sorriso de seu filho. Ser mãe é ser forte! E perceber que essa força tem um nome (Anthony) e por ele você fará tudo o que desejar. Sou grata a Deus pelo dom de ser mãe”, finalizou.

 

“Ser mãe para mim não é ser perfeita... ser mãe é estar disposta a aprender o tempo todo é evoluir constantemente, crescer com os filhos e por eles”.