Notícias UPF

Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto realiza noite de samba

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Thaiane Almeida

Parceria entre o Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto e a Prefeitura de Passo Fundo promove a quinta edição do “Dia do Samba”

O Dia Nacional do Samba foi celebrado nesta segunda-feira à noite (02) e contou com uma programação repleta de música ao vivo, apresentações de danças e clima de boteco. A quinta edição do evento “Dia do Samba” ocorreu em parceria entre as instituições do Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto – que inclui o Museu Histórico Regional e o Museu de Artes Visuais Ruth Schneider – e a Prefeitura Municipal, na Arena do Instituto Histórico de Passo Fundo.

O músico e ativista Odorico Ribeiro conta que sempre foi apaixonado por samba e que, primeiramente, levou à sua mãe – a sambista Djanira Ribeiro – a ideia de promover uma homenagem ao ritmo. Em seguida, conversou com a ex-coordenadora dos Museus Histórico e de Artes Visuais, Tânia Aimi, sobre a possibilidade de colocar em prática a sua ideia. “A primeira apresentação foi no pátio dos museus e tinha bastante gente. Chamei os meus amigos que vieram colaborar, sem receber um cachê. Assim foi seguindo a segunda, a terceira. E fizemos a quinta ontem à noite aqui, que foi fantástica, e acho que foi uma das maiores. Deu pra sentir que o pessoal gosta de samba e que precisa de um espaço para escutar o samba”, destaca Odorico. No ano passado, o músico realizou o evento “Samba Bom” em parceria com o Sesc, no Boqueirão Legal. “A realização do evento é importante, pois o Rio Grande do Sul tem muitos sambistas e muita gente que gosta de samba, mas que não conseguia expor isso, e comemorar esse dia”, ressaltou.

Um dos ritmos mais característicos do Brasil, o samba nasceu da mistura de elementos musicais da cultura africana com a brasileira. Durante muito tempo, o estilo foi marginalizado e era proibido no país devido à influência de negros e africanos. Na década de 1960, surgiu na Bahia a iniciativa de instaurar uma data nacional para comemorar o estilo musical e toda a sua bagagem histórica. Festejado todo segundo dia do mês de dezembro desde então, o Dia Nacional do Samba tem como objetivo perpetuar a cultura popular brasileira. 

A noite de ontem também pode ser considerada como uma grande homenagem à sambista Djanira Ribeiro, que faleceu em junho deste ano e participou das outras edições do “Dia do Samba”. “Ontem, todo mundo lembrou dela e ela sempre vai ser lembrada quando tiver samba. É um presente maravilhoso pra nós que ficamos aqui e eu acho que ela deve estar bem feliz lá em cima também”, comentou Odorico. A exposição “O legado de Djanira Ribeiro” fica aberta à visitação até o final de fevereiro no Museu Histórico Regional.