Projetos linha 1

Biotecnologia: Bioprospecção de metabólitos secundários de microrganismos

A busca por compostos com atividade antimicrobiana é constantemente necessária, visto que para a manutenção da sobrevivência é natural a evolução dos microrganismos, os quais desenvolvem mecanismos de resistência contra compostos antimicrobianos, limitando as opções de controle químico de patógenos. Os microrganismos apresentam capacidade de controlar fitopatógenos atuando por indução de resistência do hospedeiro, pela antibiose de metabólitos, pela competição por subsistência e por micoparasitismo. Dentre esses mecanismos de controle, a produção de compostos bioativos é uma via atrativa aos pesquisadores pelo potencial de aplicação biotecnológica que seus resultados podem gerar. A bioprospecção de metabólitos secundários produzidos por microrganismos realizada no meio acadêmico encurta e reduz riscos para as indústrias no processo de desenvolvimento e produção de novas estratégias de controle de doenças. Ao explorar a atividade biológica de microrganismos e de seus extratos podemos identificar possíveis alternativas de princípios ativos para o desenvolvimento de formulações com capacidade de controle de agentes patogênicos ou de adjuvantes que possam ser aplicados em conjunto com outras opções de manejo de doenças potencializando seu efeito. A conduta metodológica utilizada nas nossas pesquisas envolve ensaios químicos bioguiados, ou seja, os compostos químicos são gradativamente separados do extrato de origem conforme o respaldo dos ensaios de atividade, tendo como direcionamento a atividade antimicrobiana. Responsável: Profª Fabiana Tonial.

Biotecnologia: Biotecnologia em cereais de inverno associados a estresses bióticos e Abióticos

Fatores ambientais e biológicos, têm afetado com frequência, a produtividade e a qualidade do produto final de cereais de inverno, como o trigo, cevada, aveia, centeio,  triticale e espécies afins. Dentre os diversos problemas associados às doenças fúngicas e estresses abióticos, a pesquisa científica está como prioritária para solucionar ou elucidar questões ainda não totalmente resolvidas. Para isso, diferentes abordagens biotecnológicas são necessárias quando se trabalha com os cereais de inverno, uma vez que praticamente todos são poliploides e apresentam constituição genômica complexa. Neste contexto, os estudos relacionados no projeto visam avançar no entendimento dos mecanismos genéticos associados aos estresses, por meio de estratégias histoquímicas, citogenéticas, de biologia molecular e marcadores de DNA. O projeto contribuirá com novos resultados na identificação dos mecanismos e rotas bioquímicas básicas envolvidas durante o processo de infecção dos fungos patogênicos, além da relação com os principais compostos histoquímicos e estruturas celulares associados aos genes expressos na interação patógeno-hospedeiro e estresse abiótico-planta. Responsável: Profa. Sandra Patussi Brammer.

Solos: Fertilidade e Adubação

Diagnóstico das condições nutricionais, incluindo amostragem de solo e de plantas, interação entre nutrientes e métodos de análises químicas (solo, planta, fertilizantes e corretivos). Efeito de doses, formas, local, fontes e épocas de aplicação de fertilizantes e corretivos minerais ou orgânicos ou organominerais na eficiência da adubação e na preservação ambiental. Ênfase em fertilizantes de eficiência aumentada, dejetos animais e outros resíduos, plantio direto e contaminação ambiental. Responsável: Pedro A. V. Escosteguy

Solos: Física De Solos Agrícolas E Sua Relação Com As Plantas E O Ambiente

O projeto objetiva a determinação das propriedades físicas do solo e as suas relações com o desenvolvimento das plantas e o ambiente. Abrange subprojetos sobre a qualidade física de solos sob plantio direto, busca de indicadores da qualidade física de solos agrícolas, efeito de dejetos de animais e Integração lavoura-pecuária-floresta nas propriedades físicas do solo e efeito do manejo sobre a dinâmica da água no solo, efeito de aplicação de corretivos do solo sobre as propriedades físicas. Responsável: Prof. Vilson A. Klein.

Paisagismo e horticultura: Paisagismo, agroecologia, horticultura ornamental e medicinal

Projetos “Ensaios de manejo sustentável na produção hortícola (ornamentais, medicinais e alimentícias não convencionais) utilizando técnicas da produção orgânica, agroecológicas (microrganismos eficientes, agrohomeopatia) e da permacultura (Hugelkultur).” Responsável: Profa. Claudia Petry.

Ecofisiologia vegetal Fisiologia da Produção

Ecofisiologia da produção: A ecofisiologia da produção tem como objetivo compreender o funcionamento das plantas em resposta às condições ambientais buscando incrementar a produção dos cultivos. Neste propósito a pesquisa desta área dentro do PPGAgro realizada no Laboratório de Fisiologia vegetal, sobretudo na cultura da soja, avança no entendimento mais detalhado das raízes, arquitetura da parte aérea e manutenção do processo fotossintético. Nos estudos do sistema radicial busca-se a caracterização aprofundada dos limitantes do crescimento radicial, assim como, estratégias para o incremento da absorção de água e nutrientes pelas plantas. Arquitetura da parte aérea das plantas é pesquisada através da caracterização da sua definição em face às condições ambientais e de manejo visando o incremento da interceptação de radiação solar e a deposição de produtos fitossanitários. Os estudos de manutenção da atividade fotossintética estão vinculados à mitigação de estresse oxidativo, estímulos de manutenção das folhas e mobilidade de xenobióticos. Responsável: Prof. Geraldo Chavarria.

Solos: Constituintes de Rochas, Solos e Sedimentos e Propriedades Físico-químicas Associadas

Acreditava-se que a fração mineral do solo era invariável e as modificações se davam em escala geológicas (séculos e eras). Com o presente projeto de pesquisa, estamos gerando conhecimento para o estado da arte em que a mineralogia dos solos subtropicais são alterados pelo uso e manejo do solo com consequências para a agricultura e meio ambiente. Assim, trata aqui a hipótese de possíveis alterações na mineralogia decorrente do cultivo de espécies exóticas cultivadas em longo prazo nos solos. Também o estudo de nano-partículas minerais serve para avanços nas áreas de uso de rejeitos da indústria mineira em agricultura e estudos de sedimentos produzidos de áreas agrícolas. Responsável: Prof. Edson Bortoluzzi.