Notícias UPF

Infraestrutura verde: base de desenvolvimento sustentável

  • Por: Assessoria de Imprensa

Pesquisa vencedora do Prêmio Aluno Pesquisador durante a Semana do Conhecimento da Universidade de Passo Fundo (UPF) na área de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Letras e Artes estudou aspectos ambientais de Passo Fundo e Cruz Alta com foco na relevância da infraestrutura verde. O trabalho intitulado “Infraestrutura verde: base de desenvolvimento sustentável para cidades de médio porte” é de autoria da graduanda do curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Engenharia e Arquitetura (Fear) Bianca Vargas Acunha, e foi desenvolvido sob orientação do professor Juan José Mascaró. 

A infraestrutura verde busca estabelecer uma conexão da cidade com elementos naturais, utilizando como ferramentas a arborização viária, distribuição equilibrada de áreas verdes, controle da impermeabilização do solo e drenagem de águas pluviais. Conforme a acadêmica, a infraestrutura verde é uma rede sustentável, que traz uma qualificação ambiental e de vida aos habitantes da cidade que tem implantada essa infraestrutura. “Trata-se de uma rede de infraestrutura sustentável, nesse caso urbana, que tem como principal função conectar áreas verdes públicas através de corredores verdes. Também cumpre o papel de trazer uma ambiência para esses espaços por meio de um melhor controle de temperatura e umidade do ar. Cabe registrar ainda que a infraestrutura verde trabalha na captura do CO2 (dióxido de carbono), um problema sério que as cidades de médio e grande porte apresentam nos dias de hoje”, destacou Bianca.

As cidades de Passo Fundo e Cruz Alta são de porte similar, contemporâneas e com problemas parecidos. “São municípios que cresceram sem um planejamento estratégico e sustentável, provocando uma densa ocupação do solo urbano, fragmentando as áreas verdes urbana que têm um papel importantíssimo do ponto de vista social como também ambiental para as cidades em questão”, analisou a autora do trabalho.

A pesquisa foi dividida em duas etapas. A primeira, já concluída, elaborou os mapeamentos e a classificação dos espaços verdes urbanos públicos, realizou análises e mapeamentos dos possíveis corredores verdes urbanos, elaborou critérios técnicos de seleção dos futuros corredores verdes e fez levantamento físico dos corredores verdes escolhidos.  “Ainda como resultados parciais da primeira etapa da pesquisa temos a constatação da fragmentação dos espaços verdes públicos, o que faz como que a população tenha que enfrentar grandes distâncias para poder fazer uso das praças como espaço de lazer, a constatação de uma grande desordem no usos e na ocupação do solo urbano, provocando picos de densidades sem que as redes de infraestrutura urbana tenham sido projetadas para atender a essas novas e grandes demandas de uso”, constatou a acadêmica.

A segunda etapa da pesquisa, em fase inicial, consiste na elaboração de critérios técnicos de inserção de elementos de infraestrutura verde nas ruas selecionadas para assumir o papel de corredores verdes urbanos, conectando duas ou mais áreas verdes. No caso de Passo Fundo, conectando três praças: Praça Marechal Floriano, Praça Tamandaré e Praça Antônio Xavier, e um parque - Parque da Gare. “A segunda etapa é o projeto dos corredores verdes. Em termos de resultados, podemos afirmar que as ruas escolhidas para serem transformadas em conectores verdes urbanos apresentam as condições físicas necessárias para o projeto”, assegurou Bianca.

O projeto propõe a revalorização da presença de árvores e áreas verdes na cidade, contribuindo para a retenção e a infiltração da água de chuva, fornecendo conforto térmico para as pessoas no recinto urbano, auxiliando, assim, no desenvolvimento sustentável. “O objetivo principal da pesquisa é sugerir estratégias para os trechos pesquisados, permitindo, desse modo, a configuração de um corredor verde conectando as áreas verdes livres, trazendo melhor qualidade de vida, impacto visual e climático, contribuindo para a sustentabilidade urbana de Passo Fundo”, pontuou a aluna.

Desafios
Entre os principais desafios do trabalho, está a inserção de elementos de infraestrutura urbana sustentável dentro de um espaço consolidado, tendo como principal critério técnico manter elementos pré-existentes, sem que isso represente, do ponto de vista da população e dos gestores públicos, quebrar toda a rua e fazer tudo do ponto zero. “Podemos resumir que o grande desafio da pesquisa é inserir, de forma parcial, nas ruas escolhidas como conectores verdes, elementos mínimos de infraestrutura verde preservando o que for possível, minimizando custos e tornando viável a execução do projeto do ponto de vista técnico e econômico, o que consideramos de extrema importância”, considerou a graduanda.

Trabalho reconhecido
A pesquisa conquistou o primeiro lugar no Prêmio Aluno Pesquisador na área de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Letras e Artes da XXVI Mostra de Iniciação Científica (MIC), que ocorreu durante a Semana do Conhecimento da UPF, no início do mês de outubro, que também integrou a X Mostra de Extensão. Foram aproximadamente 900 trabalhos apresentados na área de pesquisa, extensão e pós-graduação, e 13 alunos foram premiados. “É muito gratificante poder ver que seu trabalho foi reconhecido dentre outros também merecidos, poder mostrar que sua pesquisa pode sim gerar grandes diferenças no meio urbano das cidades e mostrar a todos o quão importante é a infraestrutura verde nos tempos de hoje”, declarou Bianca.