Notícias UPF

Retrospectiva UPF: um ano de mudanças e conquistas

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Arquivo/UPF

Nova marca, novo posicionamento, investimentos e reconhecimento. O ano de 2019 foi  intenso, marcado por mudanças, mas também por muitas conquistas na Universidade de Passo Fundo. Foram 12 meses em que a comunidade acadêmica vivenciou novidades e conquistas e presenciou o fortalecimento da Instituição, que já formou mais de 80 mil profissionais, como uma das melhores do país.

E para lembrar de alguns dos fatos mais importantes que vivemos neste ano, preparamos uma retrospectiva que reúne tudo que foi feito nesse universo tão grande e rico como o nosso: 

Nova marca, novo posicionamento 


Em maio, a UPF apresentou para a comunidade sua nova marca. Construída a partir das referências históricas que tiveram início em 1968, a marca trouxe para essa nova fase da Instituição ideias de união, compartilhamento e diversidade, ao mesmo tempo em que, com os novos desafios, representou a grandeza, a força e a dinamicidade da Universidade. Simbolicamente, a marca expressa uma Universidade que consolida a sua qualidade, que inova e que conecta cada vez mais com o mercado de trabalho e com a sua comunidade.

Região Norte do RS constrói rede de cidades educadoras e inteligentes


Das cinco cidades educadoras do Rio Grande do Sul que compõem a lista da Associação Internacional de Cidades Educadoras (AICE), três estão na região Norte do estado. Nos últimos quatro meses, os municípios de Soledade, Marau e Carazinho conquistaram o título na região e outras estão em andamento. E essas conquistas só foram possíveis em razão do trabalho do poder público, da comunidade e da assessoria da UPF, por meio do Programa UniverCidade Educadora e do Projeto de Extensão Gestão da Educação: o feito, o necessário e o possível.

Escola de Extensão


Outra novidade apresentada no mês de agosto foi a Escola de Extensão. O projeto nasceu com o objetivo de oferecer oportunidade de formação para todos os públicos, atendendo a diversas áreas do conhecimento, de forma ágil, moderna e inovadora, a partir de demandas internas e também da comunidade, empresas, entidades de classe e poder público. Desde o seu lançamento, a Escola de Extensão já promoveu, entre outras ações, três edições dos Cursos Livres e também uma série de cursos de extensão. 

Reconhecimentos
Pelo quarto ano consecutivo, a UPF recebeu o troféu “Destaques A Granja”, na categoria Ensino Agrícola. O reconhecimento foi concedido pelo trabalho desenvolvido em prol da educação na área das ciências agrárias e do agronegócio.

A UPF também foi reconhecida pela sua qualidade em dois importantes guias de avaliação do país. No Guia da Faculdade, promovido pelo Jornal O Estado de S. Paulo (Estadão) e Quero Educação, mais da metade dos seus 57 cursos foi estrelada com conceito 4, num rol máximo de 5. 

Já o Ranking Universitário da Folha (RUF) classificou a Universidade como a quinta melhor Instituição privada do estado e a 14ª no Brasil, estando entre as 15 melhores do país. Além disso, a UPF também tem o melhor curso de Agronomia do Rio Grande do Sul. 

Em novembro, a Fundação Universidade de Passo Fundo (FUPF) recebeu a Medalha de Responsabilidade Social na categoria Instituição de Ensino Superior no Prêmio de Responsabilidade Social. Instituído pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul no ano 2000, por meio da lei 11.440, o Prêmio de Responsabilidade Social distingue ações de organizações públicas e privadas que atuam pelo bem-estar social e pela preservação do meio ambiente. 

Rede Conecta


Em outubro, foi lançada a Rede Conecta UPF, que integra toda a estrutura de inovação da Instituição – o Parque Científico e Tecnológico, a incubadora de empresas, a Agência de Inovação e os laboratórios de múltiplo interesse de várias áreas. A partir dessa iniciativa, a estrutura passou a atuar de forma integrada, potencializando atividades como: proteção da propriedade intelectual, projetos de pesquisa colaborativa (UPF-Empresa), interação universidade-empresa, licenciamento de patentes, pré-incubação e incubação de empresas, atração e residência de empresas no Parque, análises laboratoriais, etc.

Processo de descentralização de incubadoras 


Em agosto, a UPF e a Prefeitura de Tapejara lançaram o Programa Empreende Tapejara. A iniciativa visa fomentar o empreendedorismo inovador e de base tecnológica, além de estimular a criação e o fortalecimento de startups no município e na região. A Prefeitura disponibiliza infraestrutura básica (espaço de coworking, internet, energia, etc.), e a UPF, por meio da área de inovação, ligada à Vice-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (VRPPG), coordena a atração, a seleção e o desenvolvimento de projetos e empresas que participarão da pré-incubação e da incubação, nos moldes do que já é feito na incubadora de empresas localizadas no UPF Parque. Além de Tapejara, a descentralização de incubadoras também deverá contemplar os municípios de Não-Me-Toque, Casca, carazinho e Soledade. Lagoa, Sarandi e Marau.

UPF online


A Universidade ainda apresentou a Divisão UPF Online. Com um novo espaço, a Divisão atua dando apoio aos docentes no desenvolvimento de projetos vinculados à Educação a Distância, incluindo as ações de  assessoria pedagógica e metodológica do design instrucional na elaboração e configuração de disciplinas semipresenciais, de cursos de pós-graduação e extensão a distância; gravações de videoaulas e produção de materiais didáticos, realização de videoconferências e transmissões, formação continuada da comunidade acadêmica para essa área educacional em expansão.

Jornada de Extensão


Entre os eventos que foram destaque neste ano, está a realização da sétima edição das Jornadas de Extensão do Mercosul (JEM), no início do mês de novembro. Além da palestra inicial com o professor Dr. Carlos Rodrigues Brandão, referência na área de educação, que abordou o tema “50 anos de extensão ou comunicação? Educação popular e extensão na América Latina”, o evento também contou com oficinas, rodas de conversas, painéis, entre outras atividades.

Certificação de energia de fonte renovável


A FUPF foi reconhecida, por intermédio da Ludfor Energia Ltda, pelo trabalho realizado no consumo de energia elétrica em sua infraestrutura. Desde 1º de outubro de 2018, a Fundação utiliza somente energia elétrica proveniente de fonte limpa, totalmente renovável e que não agride o meio ambiente. A energia elétrica consumida é proveniente de usinas de fontes incentivadas pelo governo federal, com o objetivo de obter uma matriz energética ambientalmente sustentável e renovável. Com a utilização de energia de fonte renovável, a FUPF reduziu 96,80 toneladas de CO2 em emissões no ano de 2018, o equivalente a 2.675 mudas de árvores conservadas por 20 anos; 962 veículos leves a gasolina percorrendo 500 km; 241 transportes rodoviários de uma tonelada de carga percorrendo um trajeto de 500km; e 41 toneladas de papel/papelão enviadas para aterro sanitário.

Novo doutorado


No final do ano, a UPF também teve uma grande conquista: o doutorado profissional em Ensino de Ciências e Matemática, por meio do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECM), que já tinha o curso de mestrado. Com mais essa aprovação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a UPF passou a contar com nove cursos de doutorado. 

Nova rede wi-fi


A Universidade deu início ao trabalho de substituição da infraestrutura de rede Wi-Fi com a implantação de uma nova tecnologia de conexão e o aumento considerável no número de antenas em toda a estrutura multicampi. O trabalho de melhoria foi concluído e a nova rede passou a funcionar no mês de outubro. 

Câmeras de monitoramento


A Instituição investiu ainda mais na segurança do Campus I, com o Projeto de Monitoramento por Câmeras. Foram instaladas 38 câmeras de segurança de alta resolução e com visão noturna nas áreas externas do Campus I, e também no Centro de Pesquisas Agropecuárias (Cepagro), além da integração de 160 câmeras internas existentes nos prédios e unidades acadêmicas. 

Também foram instaladas câmeras LPR nos quatro acessos ao Campus: pórtico principal, acesso secundário, acesso que antecede o posto da Polícia Rodoviária Federal e acesso em frente ao Hospital Veterinário. Esse equipamento efetua a leitura e o registro em banco de dados de todos os veículos emplacados que ingressam no campus, caracterizando um cercamento virtual. 

Quiosques de impressão


Além disso, a UPF criou mais uma iniciativa para facilitar a vida acadêmica: os quiosques de impressão. Por meio dos quiosques, é possível solicitar a impressão por qualquer computador, sem a necessidade de deslocar-se até aos laboratórios ou salas de pesquisa. Atualmente, os quiosques estão em cinco pontos no Campus I – Laboratório Central de Informática (LCI); Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Feac); Faculdade de Engenharia e Arquitetura (Fear); Centro de Ensino Médio Integrado e Biblioteca Central – e no Campus II e na UPF Carazinho. A previsão é que até o início do próximo semestre todas as unidades acadêmicas recebam um quiosque.

Política de Atenção Integral ao Estudante 


Alicerçada no compromisso de qualificar seus processos, a UPF está fortalecendo e ampliando, de forma coletiva, a Política de Atenção Integral ao Estudante. Essa é uma das ações que visa referendar o novo posicionamento institucional, que busca qualificar os processos de ensino, de produção de conhecimento e de engajamento comunitário ao nível de excelência acadêmica.  O processo de construção da política está sendo desenvolvido com a participação efetiva de estudantes da Universidade. Essa articulação é assegurada no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UPF ao apontar que “não há sentido pensar a universidade sem o protagonismo do estudante. Não há sentido ousar no ensino, na pesquisa e na extensão sem que os estudantes sejam o cerne do ato educativo”. Dessa forma, na UPF, a construção dessa Política parte do fortalecimento de espaços de aproximação, diálogo e de escuta aos estudantes. Isso vem sendo produzido a partir da aproximação com as coordenações de cursos, com setores institucionais responsáveis pelo acolhimento e pela atenção aos estudantes e principalmente por meio da construção de grupos de trabalho com alguns estudantes representantes de cursos, o que vem possibilitando conhecer in loco as especificidades de cada área do conhecimento e refletir sobre pautas que são sugeridas por esses envolvidos.

Uma dessas iniciativas é o Bate-Papo UPF, que, nesse ano, para estar mais próximo dos estudantes e ser um espaço de acolhimento das suas demandas, teve suas atividades descentralizadas e realizadas nas unidades acadêmicas e, pela primeira vez, nos campi. Ao todo, foram 16 encontros entre os gestores da Instituição e representantes de turmas, totalizando mais de 300 estudantes.

Novas diretrizes no ensino da graduação


Para concluir o ano, em dezembro, a Instituição apresentou à comunidade acadêmica novas diretrizes curriculares para os cursos de graduação, com o intuito de subsidiar um movimento institucional de reformas curriculares ao longo de 2020 orquestrado por um conjunto comum de princípios, que buscam revigorar a formação profissional na Universidade de Passo Fundo, ao mesmo tempo em que reforçam sua identidade e essência comunitária.

A proposta da Universidade para o próximo ano é avançar na garantia da integralidade da formação, sustentada pela tríade integrada ensino, pesquisa e extensão, que permita ao egresso da UPF sua relação comprometida com o entorno, a partir do viés multiprofissional e interdisciplinar.