Notícias UPF

PPGECM e PPGEdu consolidam parceria com a Espanha

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Caroline Simor

Atividades e pesquisas conjuntas com a Universidad de Alcalá marcaram o ano no Programa

Pesquisas e projetos fazem com que o processo de internacionalização nos Programas de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECM) e em Educação (PPGEdu) da UPF se consolide a cada dia. Um dos exemplos desse trabalho é a parceria com a Universidad de Alcalá, na Espanha, por meio das ações conjuntas com o professor Dr. Jose Otero. Recentemente, o docente esteve na Instituição, onde participou de bancas, realizou palestras e seminários, além de dar andamento a projetos de pesquisas, artigos e produções. 

Otero é físico e pesquisador da área de aprendizagem em Ciências, com publicações relevantes no campo da Metacognição. Atualmente, ele integra o projeto Metacognição e Afetividade nos processo educativos, coordenado pela Dra. Cleci Werner da Rosa, docente da UPF, e está associado ao convênio assinado em 2014 entre a UPF e a Universidad de Alcalá. 

Acompanhando a programação durante alguns dias, o professor Otero trocou experiências com professores e acadêmicos, além de mestrandos e doutorandos dos dois Programas. Ele explica que a metacognição é um campo amplo, com diversas áreas de estudo, entre elas, a que ele dedica atenções é o processamento de textos científicos. “Fizemos um estudo conjunto sobre os processos metacognitivos que estão relacionados à influência da fonte de informação com a forma como os estudantes compreendem ou não um texto”, explicou.

Otero destaca ainda que vários estudos apontam a força da fonte de informação sobre a maneira como as pessoas processam as informações, como o caso das notícias encontradas na internet. Ele explica que o objetivo é observar se as pessoas conseguem saber a credibilidade da fonte e como isso as ajuda a compreender os sentidos. “Os estudantes brasileiros processam melhor a informação, ou seja, são mais críticos e compreendem mais quando se deparam com uma forma de informação que tenha menos autoridade, seja menos formal, como por exemplo, um texto de seus próprios colegas”, pontuou.

Sobre a troca de experiências entre as instituições, Jose Otero ressalta que é uma prática fundamental na atualidade. “A colaboração entre sociedades com culturas e estruturas diferentes é fundamental. A internacionalização ajuda a tornar o conhecimento mais rico e a colaboração mútua ajuda a melhorar o pensamento das pessoas nas questões diárias e não apenas acadêmicas”, destacou.

Parceria com resultados e projetos futuros
Do convênio assinado, surgiram diversas atividades envolvendo pesquisas e mobilidade de pesquisadores entre o Brasil e a Espanha, como a presença da professora Dra. Cleci em eventos na Espanha e a do professor Otero no Brasil. 

A professora lembra que, entre as produções acadêmicas decorrentes desse convênio e de autoria conjunta entre os professores, destacam-se o capítulo  publicado em 2019 intitulado “Student-centred inquiry and the awareness of one’s own lack of knowledge: building unknowns about objects” na obra  “Academic growth in higher education: questions and answers” e o artigo “ Influence of source credibility on students: noticing and assessing comprehension obstacles in science texts”, publicado em 2018 no International Journal of Science Education, segundo ela, um dos mais renomados periódicos no campo da Educação em Ciências. 

Conforme Cleci, a vinda do professor Dr. Otero ocorreu graças ao financiamento pelo CNPq, nascida de uma parceria entre a UPF e a Universidade Estadual de Londrina – Universidade Estadual de Londrina – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática e a Universidade Estadual do Norte do Paraná – Programa de Pós-Graduação em Ensino. 

Dentre as atividades desenvolvidas pelo professor na UPF estiveram palestras e participação nas reuniões do grupo de pesquisa.  Em novembro, ele ministrou as conferências “Algunos problemas de la ensenanza y el aprendizaje: desde a estrutura lógica de la disciplina a la metacognicion” e “La enseñanza de la ciencia y la metacognición frente a las técnicas de promoción de la ignorância”.