Notícias UPF

Pesquisa desenvolvida por meio de colaboração entre universidades recebe mestranda de Portugal

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Estudante Tatiane Basso, da Universidade Fernando Pessoa, desenvolveu parte prática da pesquisa utilizando infraestrutura da UPF

Durante o mês de abril, o Programa de Pós-Graduação em Bioexperimentação da Universidade de Passo Fundo (PPGBioexp/UPF) recebeu a mestranda Tatiane Basso, estudante regular do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Clínica da Universidade Fernando Pessoa, localizada na cidade do Porto, em Portugal. Trata-se de uma colaboração entre a UPF e a Universidade Fernando Pessoa e o trabalho desenvolvido tem coorientação da professora Dra. Luciana Grando, docente do PPGBioexp. Para a realização da parte experimental da dissertação, Tatiane contou com o auxílio da aluna Natália Freddo, que é mestranda do PPGBioexp e integrante do Grupo de Pesquisa em Ciências Farmacêuticas e Toxicológicas (Grupo GFTox). A parte prática do experimento foi realizada utilizando a infraestrutura do Parque Científico e Tecnológico UPF Planalto Médio (Módulo II) e as instalações do Laboratório de Cromatografia, vinculado ao Centro de Pesquisa em Alimentação (Cepa). 

A pesquisa aborda a seguinte temática: “Quantificação de patulina em sucos de maçã disponíveis no sul do Brasil”. A patulina é uma micotoxina produzida por alguns gêneros de fungos, sendo o Penicillium expansum a principal espécie produtora. Esse fungo costuma estar presente em maçãs fisicamente danificadas, as quais não são comercializadas de forma in natura, mas destinadas à indústria de sucos. Dessa forma, é possível que a toxina esteja presente no suco feito a partir das maçãs. Há vários anos, os cientistas procuram estudar os efeitos mutagênicos, carcinogênicos, teratogênicos, entre outros, que o consumo cumulativo de patulina pode causar à saúde. 

O suco de maçã é um alimento comumente utilizado por todas as faixas etárias no Brasil e no mundo, e diversos estudos, em países distintos, têm buscado detectar a presença de patulina em produtos comercializados, avaliando suas quantidades, comparativamente aos valores mínimos de consumo recomendados pelos órgãos regulamentadores. Assim, o estudo da Tatiane pode contribuir com a melhoria da qualidade do suco produzido e impactar diretamente na saúde da população em geral. 

Tatiane irá defender sua dissertação no mês de julho na cidade do Porto. Conforme a professora Luciana, o trabalho da aluna levará o nome da UPF até o continente europeu, mostrando mais uma vez que o conhecimento não tem fronteiras.