Notícias UPF

Muita poesia, descobertas e contemplação à obra do poeta Pablo Neruda

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Natália Fávero

Poeta chileno foi tema de edição do projeto Literatura em Diálogo. Além da análise da obra de Neruda, evento contou com diversas manifestações artísticas

Canções, declamações, discussões e contemplações à obra do poeta chileno Pablo Neruda marcaram a edição do projeto de extensão Literatura em Diálogo, vinculado à Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (VREAC) e ao curso de Letras da Universidade de Passo Fundo (UPF). A atividade ocorreu na noite de quarta-feira, 4 de setembro, no Centro de Eventos, e contou com a presença de acadêmicos da UPF, professores, alunos de escolas de Passo Fundo, entre outros apreciadores da obra de Pablo Neruda. A iniciativa também faz parte das comemorações dos 21 anos do Centro de Referência de Literatura e Multimeios – Mundo da Leitura da UPF.



O livro “O Carteiro e o poeta”, do escritor chileno Antonio Skármeta, que trata da relação de Mario Jiménez, com o poeta Pablo Neruda, abriu a apresentação especial do projeto Literatura e Diálogo. Enquanto o professor da UPF, Dr. Luíz Carlos Tau Golin, recitava um dos trechos do livro, o músico Jei Silvanno, entrou de bicicleta no Centro de Eventos, e distribuiu diversas cartas ao público: Para ti, mi querido(a) lector(a)! Dentro do envelope, uma poesia de Pablo Neruda. Foi uma noite de muita poesia e descobertas sobre um dos maiores poetas da língua castelhana.



Em meio as apresentações, os professores da UPF, conhecedores da obra de Neruda, analisaram e discutiram o autor e seu legado. Participaram do debate, a professora Dra. Ivânia Campigotto Aquino, do curso de Letras e também coordenadora do projeto, Dr. Francisco Carlos dos Santos Filho, do curso de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu), e a Dra. Rosane Marcia Neumann, do curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH).


O projeto Literatura em Diálogo nasceu da necessidade de incentivar a leitura e resgatar as obras clássicas de uma maneira diferente e prazerosa: a aproximação de um debate que traz interface com outras manifestações de arte. Além de trabalhar com os clássicos, ele também abre espaço para a literatura contemporânea. “Pensamos em apresentar uma outra metodologia de abordagem das obras literárias, especialmente as clássicas, porque os professores, não raramente comentam que a maior dificuldade é trabalhar com obras de épocas passadas e que o aluno encontra dificuldade de enfrentar essa leitura. Com uma metodologia agradável, a leitura se torna interessante e ele vai descobrir o patrimônio cultural que a literatura oferece”, enfatizou a professora Ivânia.

A coordenadora do projeto também destacou a importância de falar sobre Neruda. “É um poeta que nasceu no Chile, mas é do mundo. Escolhemos Pablo Neruda porque tem a ver com a realidade do curso de Letras, que além do Português e Inglês, tem Português e Espanhol”, comentou Ivânia.



Pablo Neruda foi um poeta que falou sobre amor, com a mesma intensidade que falou sobre política. Para a professora Rosane, Pablo Neruda, além de ser um grande poeta, foi um sujeito engajado politicamente. Foi cônsul do Chile na Espanha e no México e construiu uma imensa rede de relações. “Mesmo vivendo boa parte da sua vida na Europa, no oriente e em outros países latino-americanos, Neruda não deixou de ser chileno. Ele levou a história e a língua espanhola para a literatura. Essa é uma marca forte dele. Depois de optar por ser comunista, em 1945, ele assumiu uma postura política. Em toda sua trajetória ele deixa claro que é um poeta latino-americano e vive da poesia. Essa trajetória marca a sua poesia em diferentes momentos, trazendo o cotidiano da vida dele, desde a poesia de cunho político, quanto a de cunho pessoal”, observa a professora do curso de História e do PPGH.

Literatura em Diálogo
Com foco principalmente no público jovem, o projeto busca a construção de uma metodologia que apresenta o contexto atual para mostrar interesses comuns que permanecem na obra literária. Além de trabalhar com os clássicos, ele também abre espaço para a literatura contemporânea.

A iniciativa é voltada, especialmente, para estudantes dos anos finais do ensino fundamental, além de estudantes do ensino médio e ao público acadêmico universitário, além de toda a comunidade. O objetivo é o aprofundamento teórico das análises dos textos e o exercício da criatividade prática na abordagem metodológica da leitura, sempre contextualizada.

O projeto integra o Programa Ensino e Inovação, desenvolvido no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da UPF. A iniciativa conta com a parceria da Prefeitura de Passo Fundo, através da Secretaria de Educação, com a participação do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura e da Biblioteca Pública Municipal Arno Viuniski. Entre as manifestações artísticas que fazem interface com o Literatura em Diálogo estão a música, a dança, o teatro, o cinema e as artes plásticas.