Notícias UPF

Mestrandos do PPGDireito compartilham conhecimentos na Espanha

  • Por: Caroline Simor
  • Fotos: Arquivo pessoal

Intercâmbio é fruto da parceria entre a UPF e a Universidad de Alicante

A parceria entre o Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Passo Fundo (PPGDireito/UPF) e a Universidad de Alicante, na Espanha, tem gerado resultados positivos, tanto na troca de conhecimentos quanto na qualificação dos estudantes envolvidos. Neste primeiro semestre, os mestrandos Joline Picinin Cervi, Tiago Zilli, Atila Kogan, Joana Silvia Mattia Debastiani e Tiago Roso realizaram um intercâmbio dentro do programa de dupla titulação oferecido pelas instituições.

Cada estudante pode, a partir das experiências vividas, agregar conhecimento para a sua formação. Bolsista Capes/Fapergs no PPGDireito, Joline Picinin Cervi é mestranda em Território, Urbanismo e Sustentabilidade Ambiental no marco da economia circular pela Universidad de Alicante. 

Vinculada à linha de Jurisdição Constitucional e Democracia, Joline ficou pouco mais de dois meses na Espanha. Segundo ela, a experiência trouxe um crescimento sem igual. “A oportunidade de ter diversas visões sobre o tema estudado nos proporciona a habilidade de enxergar as situações a partir de outras perspectivas. Volto com muitas experiências, muito conhecimento e um grande crescimento pessoal”, pontua.

Ela ressalta que a dupla titulação trouxe a oportunidade de conhecer mais sobre o meio ambiente e as diferentes formas que ele vem sendo tratado, desde o seu território, a parte do urbanismo e da sustentabilidade ambiental. “No momento, pretendo aplicar os conhecimentos na área acadêmica, desenvolvendo estudos que tragam resultados práticos na reutilização dos recursos hídricos, para que a quantidade hídrica seja mantida, garantindo uma boa qualidade de vida para as presentes e futuras gerações. Posteriormente, pretendo repassar todos os conhecimentos adquiridos na área acadêmica”, ressalta.

Tiago Zilli é formado em Ciências Jurídicas e Sociais, cursa Ciências Sociais na UFRGS e integra o grupo de mestrandos da UPF. Seu trabalho está vinculado à linha Relações Sociais e Dimensões de Poder. Sob a orientação do professor Dr. Marcio Renan Hamel, ele desenvolve a dissertação sobre a eficácia dos direitos fundamentais de solidariedade como requisitos à cidadania.

Tiago lembra que foi selecionado para integrar o grupo de estudantes que se dirigiu para a fase presencial do programa de dupla titulação do mestrado, estando matriculado no curso de Tecnologías y Políticas Públicas sobre la Gestión Ambiental regido pelo Instituto Universitário de Águas e Ciências Ambientais (IUACA) da Universidad de Alicante. As atividades ocorrem no período de 26 de abril a 31 de maio.


 
Para ele, a experiência de estar em contato com uma realidade social completamente diversa do panorama nacional, por si só, demonstra-se positiva, sob vários aspectos. Do ponto de vista subjetivo, ele ressalta que integrar um Programa de Mestrado Acadêmico do porte cognitivo da UPF acaba por exercitar uma transcendência a respeito da visão de mundo e de sociedade, para além das prerrogativas do senso comum alcançadas pelas manifestações corriqueiras ou midiáticas. “O enfoque dos estudos, das discussões e das tarefas desenvolvidas no Mestrado em Direito da UPF nos fazem enxergar a realidade sob outros prismas de análise; o aprofundamento mental operado pela nossa linha de pesquisa faz com que a visão de mundo da nossa própria natureza humana se altere ao ponto de conseguir condensar em pequenos gestos e experiências a visão de mundo do ‘Outro’ como indivíduo. E nesse caso específico, onde foi oportunizado o contato com a cultura europeia contida na península Ibérica, porém, habitada de forma cosmopolita por diversos cidadãos do mundo, mostrou-se como o primeiro ponto de enriquecimento humano e de conscientização acerca das dimensões complexas que permeiam a sociedade global”, explica o mestrando.

Objetivamente, Tiago frisa que o acesso oportunizado junto a uma universidade de ponta, dotada de institutos de pesquisa que realizam uma atuação presente na comunidade local e também em toda a União Europeia, traz um enriquecimento acadêmico e prático às experiências de nível ímpar. Como exemplo dessa relação, Tiago destaca a realização de um artigo, apresentado no congresso do PPGDireito, que teve como objeto de central a jurisprudência de Tribunal Constitucional Federal da Alemanha. Segundo ele, esse trabalho científico só foi possível devido aos títulos disponíveis na biblioteca da Faculdade Direito da Universidade de Alicante.     
 
Para o advogado Atila Kogan, a experiência foi enriquecedora de maneira ampla. Ele lembra que, durante os dias em que morou em Alicante, foi possível não apenas conhecer o local, como turista, mas também entrar em contato com a cultura, conviver com as pessoas e assim verificar seu modo de vida. “Os conhecimentos adquiridos para o trabalho no mestrado são muito importantes, pois o Master, de Alicante, tem uma linha de pesquisa um pouco diferenciada em relação à nossa, com muita ênfase no direito ambiental, o que abre diversas possibilidades, inclusive de inovar, como foi o meu caso, pois mudei totalmente o tema e a minha dissertação após a experiência”, pontua.

Em sua opinião, as parcerias internacionais são fundamentais em uma sociedade cada vez mais globalizada. “Sem qualquer dúvida, é de muita importância e deveria ser intensificado, inclusive, na graduação, não somente porque abre a possibilidade da busca de novos conhecimentos para a formação, assim como para o crescimento pessoal, com o contato com outros povos, outras culturas, outro modo de vida. Somente teríamos a ganhar com isso”, opina o mestrando.

Vinculada à linha Relações Sociais e Dimensões de Poder, a mestranda Joana Silvia Mattia Debastiani permaneceu durante um mês na Espanha. Para ela, além de conhecer outra universidade, outras bibliografias, metodologias de ensino, a possibilidade de estar imersa em outra cultura onde o movimento civilizatório se faz presente foi algo indescritível. “Foi uma experiência para agregar conhecimento com cultura. Tivemos acesso a obras, contato com professores e alunos de diferentes áreas e países, em uma troca mútua e constante”, relata Joana, que agora, a partir das análises das legislações, teorias e métodos utilizados na Espanha, União Europeia e Brasil, vai dar sequência ao trabalho desenvolvido. 

Para Tiago Roso, egresso da UPF e mestrando do PPGDireito, a experiência foi marcante e permitiu novos olhares sobre a profissão. Vinculado à linha de pesquisa Jurisdição Constitucional e Democracia, ele desenvolveu suas atividades na Universidad de Alicante durante dois meses, período que, em sua opinião, foi suficiente para adquirir uma significativa bagagem cultural. “A Universidad de Alicante é um lugar fantástico e as pessoas muito hospitaleiras. Contamos com um quadro de docentes extremamente capacitados e além das atividades em sala de aula, tivemos a oportunidade de fazer uma série de visitas técnicas, de modo que pudéssemos ver na prática alguns dos temas estudados em sala de aula”, conta.

Segundo ele, o aprendizado adquirido nesses dois meses não se limita ao conteúdo estudado em sala de aula. O fato de poder vivenciar a cultura de outro país proporciona um conhecimento que será levado por toda vida, seja qual for o ramo de atuação. “O curso de um modo geral proporcionou uma visão bastante diferenciada, especialmente no tocante à proteção do meio ambiente. Isso certamente terá reflexos tanto no trabalho quanto na vida acadêmica”, comenta.

Para Tiago, o ambiente acadêmico é uma forma de sair da zona de conforto e o fato de poder participar de uma experiência internacional é dar um passo além. “Acredito que essa internacionalização é extremamente benéfica para todos os sujeitos envolvidos e deve ser incentivada. O Programa da Faculdade de Direito da UPF não tem medido esforços e tem sido bastante feliz nesse sentido. A coordenação tem buscado cada vez mais proporcionar esses intercâmbios de conhecimentos e nós alunos precisamos aproveitar essas oportunidades”, destaca.