Notícias UPF

Acadêmicas de Enfermagem promovem Trote do Bem no HSVP

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Caroline Silvestro/HSVP

Pacientes da oncologia pediátrica do hospital assistiram a contação de histórias realizada por estudantes da UPF

Uma maneira diferente de realizar o tradicional trote universitário. As acadêmicas do curso de Enfermagem da Universidade de Passo Fundo (UPF) realizaram, na tarde desta segunda-feira, dia 28 de setembro, um Trote do Bem. A iniciativa contou com o apoio do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e do Centro Oncológico Infantojuvenil.

De acordo com a acadêmica Gilsiane Soster Alves, os veteranos tinham o desafio de promover um trote com os calouros, contudo, devido a pandemia da Covid-19, não era possível que todos estivessem próximos. Dessa forma, a ideia foi realizar a contação de histórias para as crianças da oncologia por meio da internet. “ É muito bom ver a alegria das crianças e o esforço dos colegas. É gratificante poder levar alegria para elas”, disse Gislaine.

Conforme a acadêmica de Enfermagem, Anelise Neuls Vieira dos Santos, a ideia era também fazer o acolhimento da turma que ingressou há pouco na UPF. “ A gente teve a vontade de receber elas de uma maneira acalorada, porque escolheram essa profissão em um momento em que a Enfermagem é a linha de frente nessa pandemia. Então elas adotarem por essa profissão é sensacional, muito corajoso. Só que, devido ao distanciamento social, não poderíamos estar próximas umas das outras e, por isso, encontramos essa maneira”, disse.

O grupo se dividiu, com algumas estudantes presentes no hospital e as demais de forma on-line. As acadêmicas também se pintaram e se fantasiaram para que a contação ficasse mais divertida e interativa para as crianças. Foram apresentadas duas histórias “ A revolução de Aurora” e “Barbareco”. As duas obras apresentam histórias de luta e enfrentamento das dificuldades.

De acordo com a professora do curso de Enfermagem, Me. Sandra Vanini, foi uma experiência muito importante tanto para as estudantes quanto para as crianças. “Foi muito bonito, foi mágico para as crianças, foi muito humanizador, sensível para o momento, tanto para as crianças quanto para os cuidadores e demais estudantes que acompanharam essa atividade”, disse.

A experiência humanizadora para formação profissional também foi destacada pela docente. “ É importante para que eles percebam que o processo de cuidado perpassa a questão técnica, vai além da questão emocional, de afeto, de estímulo. As histórias traziam uma mensagem muito positiva para o momento difícil que as crianças estão passando e que o processo de cuidar vai além do corpo, mas da alma, das emoções. Trazer o amor e o afeto nos espaços de saúde é muito importante”, finalizou Sandra.