Notícias UPF

Parceria para ampliar horizontes

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Encontro entre vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UPF e agente de internacionalização que atua na Alemanha ocorreu nesta terça-feira (06)

O vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade de Passo Fundo (UPF), professor Dr. Leonardo José Gil Barcellos, recebeu, na tarde desta terça-feira, 6 de março, a visita do pesquisador Eduardo Israel, da Universidade de Münster, na Alemanha. Pesquisador na Alemanha, Eduardo atua como um agente de internacionalização técnica da UPF por meio de um projeto de pesquisa desenvolvido em uma parceria da Instituição com a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE). Participaram do encontro, além do professor Barcellos, o coordenador do UPF Parque, professor Charles Israel, e a coordenadora da Assessoria para Assuntos Internacionais e Insterinstitucionais (AAII) da UPF, professora Maria Elisabete Mariano dos Santos.

De acordo com o vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Eduardo é o responsável por fazer o “meio campo” entre a UPF e a Alemanha com o principal objetivo de desenvolver convênios entre  a Universidade e instituições alemãs. “Para nós, é muito importante ter alguém na Alemanha representando os interesses da UPF nesse processo de internacionalização tanto no envio de alunos de graduação e pós-graduação quanto nos projetos de pesquisa colaborativa e intercâmbio de start ups”, destacou Barcellos. 

Eduardo integra o projeto de pesquisa e desenvolvimento entre UPF e CEE, iniciativa desenvolvida desde o ano passado que, segundo o professor Charles Israel – que também é coordenador do projeto –, busca viabilizar a validação de um sistema de acionamento de chaves seccionadoras. “O projeto iniciou no curso de Engenharia Mecânica e no Mestrado em Projeto e Processos de Fabricação. Essa patente que desenvolvemos é um sistema de automação de chaves para subestações de energia elétrica e a missão do Eduardo é nos auxiliar na validação desse sistema na comunidade europeia”, explicou o professor.