Notícias UPF

Vestibular UPF: da universidade para o campo

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação/UPF

Ensino em ciências agrárias da UPF é referência, com a formação de agrônomos e veterinários qualificados e que fazem diferença com sua atuação

O agronegócio pujante faz do Brasil um país reconhecido, exportando alimentos para todo o mundo. A atividade econômica que mais cresce na economia brasileira gera uma demanda constante e crescente de profissionais competentes para esse mercado de trabalho. Referência no Brasil e uma das mais conceituadas de toda a região Sul, a Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Passo Fundo (FAMV/UPF) tem consolidado o ensino em ciências agrárias. 

Pioneira na pesquisa e na pós-graduação na UPF, a FAMV conquistou, por oito anos consecutivos o Prêmio Melhores Universidades – Guia do Estudante, da Editora Abril, na categoria “As melhores por área de conhecimento”, em Meio Ambiente e Ciências Agrárias. O reconhecimento atesta a qualidade oportunizada pela unidade, que contempla os cursos de Agronomia e Medicina Veterinária. 

Agronomia aplicada no campo

A FAMV foi criada em 1960 e, desde então, já graduou mais de 2,5 mil engenheiros agrônomos. Coordenador do curso de Agronomia da UPF, o professor Dr. Vilson Klein aponta que o meio reconhece a Instituição por formar agrônomos de campo, capacitados para o trabalho. “A qualidade na formação acadêmica é consolidada, tanto que inúmeras empresas buscam o curso para seleção para estágios curriculares, já pensando na empregabilidade”, cita ele, comentando que pelo menos 10 empresas selecionaram acadêmicos neste semestre.

A inserção da UPF em uma região economicamente voltada ao agronegócio é um dos pontos fortes, conforme o coordenador do curso. “Estamos inseridos em uma região produtora, o que nos liga fortemente ao campo. Além disso, os próprios acadêmicos são vinculados ao meio agrícola e conhecem mais sobre as principais culturas, isso nos torna diferenciados”, cita ele. 

O mercado de trabalho dos egressos da Agronomia da UPF compreende a atuação em empresas privadas do setor agrícola, cooperativas e propriedades rurais, instituições públicas de ensino, pesquisa e extensão, como consultor técnico e empreendedor no agronegócio. Uma recente pesquisa realizada com os egressos do curso apontou um dado importante: mais de 33% dos formados retornam para as propriedades da família, um indicativo de que estão buscando conhecimento para realizar a sucessão rural.

Além das fronteiras brasileiras

O contato direto com o campo trouxe o jovem Mário Roberto Utzig Neto para o curso de Agronomia da UPF. Desde pequeno, ele acompanhou a lida, tradição que vem da família, que tem propriedade de terra na cidade de Santa Bárbara do Sul. A produção da família se concentrava em duas atividades: de grãos, especialmente soja, trigo e aveia; e também gado de leite. As necessidades de acompanhar a sanidade do rebanho leiteiro traziam Mário e o pai frequentemente para a UPF, onde realizavam as análises no Serviço de Análise de Rebanhos Leiteiros (Sarle). Por já conhecer a estrutura da Universidade, o jovem optou pela Instituição para a sua formação.

No curso de Agronomia, o jovem pôde buscar conhecimento para aplicar no campo. “A formação vai além do conhecimento prático, proporciona aperfeiçoamento pessoal. Temos professores preparados e com vontade de ensinar”, comenta ele. Em fase final de curso, Mário já se prepara para a realização do estágio curricular, que será uma grande experiência. “Farei meu estágio na Universidade do Kansas, nos Estados Unidos. Além de viver uma imersão na língua inglesa, também aproveito a oportunidade para fazer novos contatos, pesquisar e seguir estudando”, conta ele, que pretende atuar no mercado de trabalho com assessoria no campo e também seguir na academia. 

O estágio internacional sempre foi um sonho de Mário, que, no dia 20 de julho, embarca para uma jornada de cinco meses de conhecimento prático, retornando à UPF em dezembro de 2019. A oportunidade pode ser vivenciada por outros acadêmicos que têm o mesmo desejo, isso porque a UPF conta com convênios internacionais, que permitem experiências em outras instituições estrangeiras.

Medicina Veterinária consolidada

Para oferecer uma formação integral em Medicina Veterinária, a UPF conta com um Hospital Veterinário para desenvolvimento de atividades práticas que é referência no Brasil. A professora Dra. Laura Beatriz Rodrigues, coordenadora do curso, destaca que quem faz Medicina Veterinária na UPF encontra um curso consolidado, com 22 anos de história e mais de mil veterinários formados. “Temos professores engajados, 100% deles mestres ou doutores, que amam o que fazem. Somos o melhor curso de Medicina Veterinária do estado em instituições privadas, de acordo com o Ranking Universitário da Folha, e recebemos 4 estrelas no Guia do Estudante em 2018”, cita ela.

Sobre o Hospital Veterinário, a professora Laura destaca que o espaço possibilita aos acadêmicos acompanhar rotinas clínicas e cirúrgicas de animais de companhia, animais de produção, equinos e animais silvestres, com laboratórios equipados. “Além disso, temos a nossa fazenda-escola, o Cepagro, com criação de animais e nossa própria agroindústria para a área de inspeção, higiene e tecnologia de produtos de origem animal”, comenta, enfatizando que as aulas também ocorrem de forma prática em fazendas, empresas e projetos de extensão. “Temos convênios com instituições de renome nacional e internacional, além de intercâmbios com diversos países”, informa ela.

O mercado de trabalho, segundo a professora, é promissor. “O médico-veterinário é um profissional multifacetado e pode atuar na área de clínica e cirurgia, reprodução, nutrição, produção animal, em laboratórios, agroindústrias produtoras de alimentos e na área de saúde pública, empreendendo seu próprio negócio ou atuando em órgãos governamentais”, pontua, indicando que quem quer seguir com a academia tem na UPF a possibilidade de continuação dos estudos na pós-graduação, com a residência em Medicina Veterinária, o mestrado e o doutorado em Bioexperimentação. 

Residência no Rio de Janeiro

A qualidade no ensino garante o reconhecimento profissional. Quem atesta é a egressa do curso de Medicina Veterinária da UPF Cathielli Correa, que realizou a formatura no final de janeiro de 2019 e, além da colação, celebrou a aprovação no Programa de Residência Profissional em Medicina Veterinária da Secretaria Municipal de Saúde da prefeitura do Rio de Janeiro - Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa), um programa de residência inédito.

A formação na UPF foi essencial para que a acadêmica pudesse se consolidar como profissional. Durante a graduação, Cathielli foi bolsista do Programa de Apoio Institucional a Discentes de Extensão (Paidex) e atuou no projeto de extensão Educação em Saúde: o médico-veterinário e o controle de zoonoses. Além disso, ela fez seu estágio curricular no Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, no Laboratório de Zoonoses e Saúde Pública e no Laboratório de Parasitologia da Universidade Estadual de Londrina. Todas as experiências vividas durante o curso, além do seu empenho acadêmico, credenciaram Cathielli a receber o reconhecimento profissional.

Vestibular de Inverno da UPF

A exemplo do que fez para Mário e Cathielli, a UPF abre a possiblidade de outras pessoas ingressarem nos cursos de Ciências Agrárias da Instituição, por meio do seu Vestibular de Inverno 2019. Porta de entrada da Universidade, o processo seletivo inscreve para ingresso em Agronomia e em Medicina Veterinária, além de outros cursos de graduação naquela que é reconhecida como a maior instituição de ensino superior do norte do estado. Nesta edição, são 23 cursos disponíveis, nas seguintes áreas do conhecimento: licenciatura, saúde, comunicação, ciências sociais e aplicadas, engenharia, arquitetura e exatas. As inscrições devem ser feitas via internet, pelo site vestibular.upf.br, até 4 de junho. A prova será no dia 8 de junho.