Notícias UPF

Pós-Graduação em Projeto e Processos de Fabricação promove Aula Inaugural

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Jéssica França

O Programa de Pós-Graduação em Projeto e Processos de Fabricação da Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade de Passo Fundo (PPGPPF/Fear/UPF) realizou, nesta sexta-feira, 10 de agosto, a Aula Inaugural do semestre 2018/2. A palestra foi ministrada pelo professor Dr. Avelino Alves Filho, diretor da empresa Núcleo de Cálculos Especiais (NCE), com o tema “Utilização da simulação virtual no desenvolvimento de produtos”. 

A atividade, realizada no auditório Mario José Paluch, Campus I, reuniu estudantes e o corpo docente do curso. De acordo com o coordenador do Programa, professor Dr. Márcio Walber, o evento foi um momento importante para todos os estudantes. “A palestra é para prestigiar os estudantes com a temática de desenvolvimento de produtos com simulação virtual, de modo que eles possam assistir à palestra, que pode servir como apoio para as dissertações deles”, disse.

De acordo com o palestrante, a simulação virtual tem tido um crescimento e uma utilização muito ampla, possibilitando maior assertividade e rapidez no desenvolvimento de novos produtos, com a utilização principalmente para grandes empresas. “Antigamente, nas áreas naval e aeronáutica, não havia tantos recursos gráficos, as malhas eram feitas à mão, mas você não joga um navio em um mar com um custo de R$ 20 milhões para depois dizer que não deu certo. É preciso fazer a simulação para poder lançar um produto”. Ainda conforme Alves Filho, o trabalho na indústria automotiva é um exemplo de mercado que vem atuando com a simulação de produtos. “São desenvolvidos veículos, com os prazos de desenvolvimento cada vez menores, então, não se pode fazer como antigamente, na forma de tentativa e erro, em um contexto no qual se pegava um produto, desenvolvia, montando um protótipo, e testava no campo; quando quebrava, voltava, consertava e testava novamente. Hoje, se faz um modelo virtual, com todas as condições que ele vai ser utilizado no campo e depois fazemos um protótipo somente para nos certificarmos”, explicou.