Notícias UPF

Intercâmbio de saberes extenionistas

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Natália Fávero

UPF sediou a sétima edição das Jornadas de Extensão do Mercosul (JEM), que ocorreu de 6 a 8 de novembro e reuniu cerca de 350 pessoas

A sétima edição das Jornadas de Extensão do Mercosul (JEM) foi uma troca. Uma troca de saberes, de práticas, de experiências, de angústias e de protagonismos. O evento foi realizado na Universidade de Passo Fundo (UPF), entre os dias 6 e 8 de novembro. Em pauta, muitos desafios que envolvem a extensão, desde a curricularização, passando pela internacionalização até a construção de territórios educativos. Foram mais de 200 trabalhos apresentados e cerca de 350 participantes no total, vindos de 32 instituições de ensino superior de oito estados brasileiros e dos países da América Latina. A programação foi repleta de saraus, painéis, rodas de conversas, oficinas, exposições, passeios ecológicos, históricos e culturais e muitos outros momentos culturais.

Um evento marcado pelo protagonismo dos estudantes extensionistas, representados por tantas Marias e Anas desse Mercosul. Sim, a extensionista da UPF, acadêmica de Psicologia, Maria Luisa Nolasco Dal Molim, e a estudante extensionista da Universidad Nacional Del Centro de La Provincia de Buenos Aires, Ana Pia Recavarren, declararam o orgulho de terem sido as primeiras a integrar uma mesa de abertura das Jornadas, fato que ficará registrado na história do evento. 

Maria Luisa atua no projeto de extensão Observatório de Juventude, Educação e Sociedade da UPF, que visa promover os direitos das juventudes de Passo Fundo, em convênio com a Cátedra Unesco/UCB, tendo como foco as vulnerabilidades e violências vivenciadas por sujeitos, instituições e territórios, por meio de percursos de pesquisa e intervenções interinstitucionais e interdisciplinares. “Atuo com duas turmas de oitavo ano da Escola Wolmar Salton, desenvolvendo trabalho de rodas de conversa, de produção de material e de reflexão e da condição dessas pessoas. A minha visão de extensão cumpre com uma lógica de compromisso que tenho em relação às lutas de desigualdade social, por um país e América Latina mais justa. A partir desta perspectiva, eu entendo que a universidade, em especial o extensionista, tem muito a contribuir. É uma via para poder atuar e fazer o que eu acredito junto ao povo”, declarou a acadêmica da UPF.

Extensionista da UPF, Maria Luisa Nolasco Dal Molim, durante painel de abertura das Jornadas

A Argentina trouxe uma comitiva com cerca de 30 pessoas e a Ana Pia, que também representou muitos extensionistas durante o evento, estava lá. “É a primeira vez que participo das Jornadas de Extensão. Estou muito feliz de poder estar aqui, compartilhando trabalhos em uma mesa redonda e representando os estudantes da Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires em um dos painéis e isso também é um grande desafio, poder falar em nome de todos e de todas e estou muito emocionada de estar aqui”, destacou a estudante argentina.

Extensionista da Universidad Nacional Del Centro de La Provincia de Buenos Aires, Ana Pia Recavarren

E por falar em Argentina, o secretário de extensão da Universidad Nacional Del Centro de La Provincia de Buenos Aires, Daniel Herrero, também compartilhou muitas experiências extensionistas. “Estamos percorrendo juntos estes caminhos da extensão universitária na América Latina. Caminhos da extensão que são caminhos de diálogo, caminhos de respeito, da equidade, da democracia, que são também caminhos da convicção de que um mundo melhor é possível. E se fazemos algo, nós extensionistas, é honrar com a relevância e o sentido público que tem a educação, não somente para nós que estamos dentro das universidades, mas sim fundamentalmente pensando naqueles que estão fora das universidades e talvez nunca possam chegar a entrar”, observou Herrero.

Secretário de extensão da Universidad Nacional Del Centro de La Provincia de Buenos Aires, Daniel Herrero

E oito estados do Brasil estiveram representados no evento. “Participar das Jornadas é a realização de um sonho. Nunca tive oportunidade e hoje conhecer de perto essa realidade é muito gratificante”, disse a pró-reitora da Universidade Vale do Paraíba, Maria Regina de Aquino Silva, presidente do Fórum Nacional de Extensão e Ação Comunitária das Universidades e Instituições de Ensino Superior Comunitárias (Forext), evento também sediado pela UPF entre os dias 5 e 6 de novembro.

Pró-reitora da Universidade Vale do Paraíba, Maria Regina de Aquino Silva, presidente do Forext

E participar das Jornadas traz, além de experiências e conhecimentos, muita felicidade. “Vocês não sabem o quanto eu estou feliz”, emoção e expressão repetidas em vários momentos pela reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, que também já passou pela pasta da Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários e que sabe o quanto as Jornadas e seus saberes transformam vidas e reforçam desejos de uma universidade e educação melhor para todos. “Precisamos fazer que as nossas instituições, e falo em nome de uma instituição comunitária que tem um compromisso social fortíssimo, que possam continuar existindo e resistindo para fazer a melhor educação, aquela educação que de fato representa a necessidade de todos os povos”, declarou durante o evento a reitora.

Reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin

Sobre as Jornadas
As Jornadas fomentam o trabalho em rede e as discussões e os acordos que permitem fortalecer a extensão universitária, contemplando as particularidades disciplinares e, ao mesmo tempo, sustentando a extensão na perspectiva da integralidade e dos direitos humanos.  Elas são organizadas de forma conjunta pela Universidade do Centro da Província de Buenos Aires (UNCPBA), UPF, Forext, Secretaria de Políticas Universitárias dependente do Ministério Nacional de Educação da Argentina, Conselho Interuniversitário e Rede Nacional de Extensão Universitária Argentina. Na região latino-americana, as Jornadas têm o apoio da União Latino-americana de Extensão Universitária (ULEU) e da Associação de Universidades do Grupo Montevideo (AUGM).