Notícias UPF

Game “O Superpoder Real” é finalista do Prêmio Euro Inovação em Saúde

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Arquivo/UPF

Jogo foi desenvolvido a partir do livro “O superpoder real”, criado por acadêmicos do curso de Medicina da UPF por meio do programa de extensão ComSaúde

Desenvolvido a partir do livro “O superpoder real”, criado por acadêmicos do curso de Medicina da Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio do programa de extensão ComSaúde, o game “O Superpoder Real” é um dos 100 finalistas do Prêmio Euro Inovação em Saúde. A iniciativa tem como objetivo reconhecer e estimular a comunidade médica do Brasil na busca por soluções inovadoras em produtos, serviços e ações com a finalidade de gerar ganhos potenciais e efetivos na qualidade de vida e bem-estar da população brasileira.

O livro é fruto de uma parceria e entre a Universidade, o Serviço de Hemoterapia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e também a Academia Passo-Fundense de Letras. Já o game foi idealizado pelo Secretário de Educação Edemilson Brandão e lançado no final de 2019. Ele possibilita o contato com o tema da doação de sangue de forma mais atrativa e acessível desde a infância, a partir da história do livro, possui narração dos personagens e interações como caça palavras, dominox, complete as frases, verdadeiro ou falso, jogo dos sete erros, cruzadinha, labirinto e desenhos temáticos do Hemozito para colorir. Inicialmente, o game está sendo utilizado pelos pacientes do Centro Oncológico infantojuvenil do HSVP e, posteriormente, será disponibilizado para toda a rede municipal de ensino.

Envolvimento acadêmico
O livro que deu origem ao jogo foi escrito pelos acadêmicos do curso de Medicina Débora Cristina Schuh e Ighor Prodlik Laimer, sob orientação da professora Dra. Cristiane Rodrigues de Araújo, que também é responsável técnica do Serviço de Hemoterapia do HSVP. De acordo com ela, o projeto é fruto de uma dedicação de muito anos, em especial dos acadêmicos que aceitaram trabalhar com o tema doação de sangue. “Esses estudantes começaram panfletando e divulgando os principais critérios da doação de sangue e ao longo desses anos, fomos construindo parcerias. O Ighor aceitou o desafio de fazer a ilustração do livro e a Débora escreveu a história. E é uma história muito especial”, contou.

Segundo Débora, que hoje está no 12° nível do curso de Medicina, abordar a doação de sangue desde a infância, de maneira lúdica, visto que, dessa forma, torna-se mais fácil compreender a importância do gesto de doar sangue, além de incentivar as pessoas próximas e tornar-se doador no futuro, sempre foi uma preocupação do grupo. “Gostamos muito dos resultados dessas ações e ficamos muito felizes em estarmos entre os 100 finalistas do Prêmio Euro Inovação em Saúde. Esperamos que, assim, muitas crianças ainda possam ser beneficiadas por meio do trabalho que desenvolvemos”, disse a acadêmica.

Responsável pelas ilustrações do livro, Ighor, também acadêmico do 12° nível, acredita ser de suma importância o reconhecimento desse trabalho. “Fizemos o trabalho com o intuito de levar o material para as escolas, em um primeiro momento, com a finalidade de estimular a educação referente a doação de sangue, juntamente com a quebra do medo ou ‘tabu’ que a sociedade tem em relação a esse importantíssimo assunto para a saúde pública. Queremos, cada vez mais, educar as crianças, jovens e familiares sobre a importância da doação de sangue, mostrando que esse ato de empatia com o próximo te torna um ‘Super Herói’ de verdade, e que o sangue doado de forma segura, simples e indolor poderá salvar muitos”, pontuou.

Na opinião de Cristiane, o envolvimento dos estudantes com o projeto fará deles, além de médicos tecnicamente preparados, profissionais humanizados. “Esse contato com a comunidade e dedicação a ações tão relevantes como a doação de sangue só vai acrescentar na formação deles. Não tenho dúvidas de que as ações realizadas pela extensão fazem toda a diferença para quem está participando de uma forma ativa ou indiretamente como benefício a ser expandido para toda a população por vários pilares, seja pela cultura, pela educação e pela saúde”, completou.

Votação
O projeto do game “O Superpoder Real” concorreu com outros 1600 trabalhos de universidades e hospitais de excelência de todo o país. A próxima fase do Prêmio Euro será definida por uma votação online voltada a médicos registrados em seus conselhos regionais de medicina. “Peço a todos os médicos que votem no nosso trabalho, porque certamente temos muitas coisas ainda a desenvolver com o tema doação de sangue, em especial nesse período crítico que estamos enfrentando”, pediu a professora.

A votação pode ser feita pelo site premioeuro.com.br.