Notícias UPF

Stara e UPF: uma parceria de resultados

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Caroline Simor

Empresa está instalada no Módulo III do UPF Parque e conta com a parceria da Instituição no desenvolvimento de aplicativos e programas

A parceria entre a Universidade de Passo Fundo (UPF) e a empresa Stara, de Não-Me-Toque, é antiga e vem trazendo resultados significativos ao longo do tempo. Instalada no Módulo III do UPF Parque, a empresa tem colocado em prática projetos conjuntos, objetivando o melhoramento de processos e o desenvolvimento de ferramentas inovadoras.

Com a missão de ser pioneira em soluções inteligentes para o agronegócio, a Stara atua em todo o território nacional, além de estar presente em mais de cinco continentes, exportando para mais de 35 países. Entre os serviços oferecidos, estão agricultura de precisão, carretas agrícolas, niveladores de solo, plataformas de milho, pulverizadores, plantadeiras, semeadeiras e tratores.

Para atender ao mercado e atuar de forma inovadora, a empresa conta com a parceria da UPF. No Parque, com a ajuda de estagiários do curso de Engenharia de Computação, a empresa encontra soluções e melhorias para processos, ferramentas e novos aplicativos, tanto para o público interno quanto para os clientes. 

De acordo com Andrei Becker Pacheco, desenvolvedor de software da Stara, a empresa pretende fortalecer as ações e promover o crescimento mútuo. “Dentre os objetivos, está o de fortalecer essa parceria, e, com a contratação de estagiários, fazer com que eles usem os conceitos da sala de aula aplicados à realidade de uma empresa que está no mercado. Eles vão conhecendo o funcionamento e nosso objetivo é também já trabalhar na vinculação deles à empresa, no futuro”, explica.

O espaço, de acordo com Andrei, permite que, longe da correria da produção da empresa, possibilidades sejam testadas, como por exemplo, um teste piloto, conduzido pelo professor Dr. Alexandre Zanatta. Junto com acadêmicos, ele realiza uma consultoria para melhorar o processo de desenvolvimento de softwares na empresa.

Espaço para testar novas metodologias
Hoje, atuam como estagiários os acadêmicos Leonardo Becker da Luz (10º semestre), Willian Brun (2º semestre), Homero Menezes Vargas Kemmerich (4º semestre) e Angelo Elias Dalzotto (10º semestre). Dessa forma, o fluxo ocorre de ambas as partes, seja partindo da equipe localizada na UPF, seja dos setores da Stara. Para Leonardo, a oportunidade de atuar junto à empresa agrega na formação, além de ser uma experiência pessoal. “Aqui, temos a oportunidade de colocar em prática aquilo que aprendemos em sala de aula. Além disso, vivenciamos situações e temos que resolver questões às quais jamais teríamos acesso somente pela teoria. Temos contato com o mercado de trabalho e isso é muito positivo”, pontuou.

No momento, a equipe trabalha no desenvolvimento de um aplicativo para o Consórcio Stara e em soluções para auxiliar os técnicos da empresa. Além disso, também se dedica a trabalhar na manutenção e no desenvolvimento de outros aplicativos que já estão em uso.

Para o coordenador executivo da Rede Conecta de Inovação da UPF, Giezi Schneider, a presença da Stara na Instituição é fundamental para o ecossistema de inovação. Isso se justifica, primeiramente, por ela ser uma grande empresa, reconhecida mundialmente, o que, segundo ele, ajuda a atrair novas empresas. Segundo, por criar inúmeras possibilidades de formação acadêmica. “A presença da Stara aqui cria oportunidades para que nossos estudantes vivenciem na prática, como bolsistas ou estagiários, aquilo que estão estudando em sala de aula. Observamos o crescimento e o fortalecimento do processo formativo no momento em que entram para atuar em empresas desse porte”, frisou.

Além disso, as parcerias desenvolvidas e a inserção da empresa dentro do Campus permitem um olhar diferente sobre a função do Parque na sociedade. “A Stara tem uma capacidade de implementação das soluções desenvolvidas no escritório aqui no Parque, o que corrobora com a importância do Parque, mostrando que, de fato, aquilo que é pesquisado e desenvolvido vai a campo e se torna inovação”, pontou, destacando também o universo de possibilidades de diversas parcerias no desenvolvimento de novas tecnologias.