Notícias UPF

Maior floresta do Rio Grande do Sul foi sala de aula para o curso de Ciências Biológicas

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

O Parque Estadual do Turvo, localizado no município de Derrubadas, no noroeste do Rio Grande do Sul, serviu de sala de aula para acadêmicos do curso de Ciências Biológicas da Universidade de Passo Fundo (UPF) estudarem espécies florestais nativas típicas da Floresta Estacional Decidual. Com seus 17.450 ha, o Parque Estadual do Turvo é a maior unidade de conservação mantida pelo poder público do Rio Grande do Sul, sendo também a mais antiga, criada em 1947. Esse natural e grande espaço pedagógico foi utilizado pela disciplina de Silvicultura Ambiental, ministrada pelo professor Dr. Jaime Martinez, nos dias 8 e 9 de novembro.

Ao longo de toda a viagem desde Passo Fundo, a turma fez um exercício de análise da paisagem, identificando a cobertura vegetal original, e descrevendo o atual tipo de uso do solo. No município de Carazinho, a turma estudou diversas espécies arbóreas florestais nativas, tanto no meio urbano quanto em remanescentes florestais próximas à cidade, com destaque para o angico, cabreúva, catiguá, cedro, canjerana, pinho-bravo e vacum. Visitaram ainda o Museu Olívio Otto, para conhecer um pouco da história do ciclo da madeira em Carazinho, espécies da fauna silvestre que ocorria pelas florestas da região no passado, a exemplo da onça e da maior águia das Américas, a Harpia, mantida em exposição nesse importante museu.

Já no Parque Estadual do Turvo, os futuros biólogos escutaram muitas histórias de onça, ainda existentes nessa grande área natural protegida, em interação com a população local. Dentro do Parque, apreciaram grandes árvores como a grápia, alecrim, caixeta, típicas daquela tipologia florestal, assim como o mamãozinho-do-mato, o cincho e o jerivá. Em todas essas espécies, foram destacadas suas características ecológicas, silviculturais, com destaque para as interações com a fauna silvestre. Alunos do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCiamb) da UPF acompanharam a turma da graduação, atuando como monitores nessa grande sala de aula que é a maior unidade de conservação do estado.