Notícias UPF

As características da universidade comunitária marcam abertura da Semana do Estudante

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Evento, constituído de palestras, segue com atividades até quinta-feira (19)

Acadêmicos da Universidade de Passo Fundo (UPF) acompanharam na noite desta terça-feira, 17 de novembro, de forma on-line, a abertura da Semana do Estudante. O evento, que visa dialogar sobre o protagonismo estudantil no contexto de pandemia e as múltiplas possibilidades de construção de saberes, de estratégias e de apoio aos alunos e a comunidade de Passo Fundo, contempla uma programação com várias palestras.

O início das atividades foi marcado pela palestra “Ser estudante na Universidade Comunitária: dos desafios às possibilidades”. O tema foi debatido pela professora do curso de Serviço Social, Dra. Cristina Fioreze, e pela acadêmica de Psicologia, Maria Luísa Nolasco Dal Molin. A mediação ficou a cargo da assistente social, Silvana Ribeiro.

Em sua fala, Cristina destacou que as universidades comunitárias surgiram nas décadas de 1960 e 1970, no interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Além disso, a docente comentou que, para funcionar, essas instituições precisam da participação das pessoas e das comunidades acadêmica e de entorno. “As universidades comunitárias têm forte caráter regional e um compromisso com o desenvolvimento regional. Essa é uma característica única desse modelo comunitário”, disse.
 
Relacionado à isso, Cristina propôs aos participantes imaginarem as cidades sem a presença das universidades comunitárias situadas no estado, citando a UPF como responsável por muito do desenvolvimento de Passo Fundo em diversos setores, tais como na área da saúde, da agricultura, entre outros. “Como seriam as cidades se não houvessem as universidades comunitárias? Muito possivelmente as regiões não teriam o desenvolvimento cultural, social e econômico que elas têm hoje”, mencionou.

Universidade de pertencimento
A acadêmica Maria Luisa complementou a professora Cristina sobre as características da universidade comunitária. “Ela é, por característica, uma instituição universitária que pertence a comunidade, faz parte dos movimentos que a constitui e por isso deve estar permanentemente se movimentando a favor dela. Isso significa que aqueles que a constroem necessitam estar atentos aos mais diversos contextos: do campo, das cidades, das questões dos grupos minoritários, daqueles espaços onde há desigualdade, entre outros”, contou.

Ela ainda salientou o papel dos estudantes das universidades comunitárias. “Nós assumimos um lugar muito importante. Somos nós os extensionistas, os pesquisadores que fazem mover as nossas instituições. Temos nas mãos a possibilidade de escrevermos um mundo que seja nosso”, enfatizou.

Também acompanhou o debate a acadêmica do curso de Medicina Veterinária e representante do Diretório Acadêmico da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAMV), Paula Hartwig Bichler.

Próximas palestras
Nesta quarta-feira (18), às 18h, a Semana do Estudante tem continuidade com a palestra “Protagonismo estudantil na Universidade”, com os estudantes Rafaela Moretti e Bruno Almeida Silva. E na quinta-feira (19), às 18h, acontece a palestra “Saúde e experiências no projeto Rede de Cuidados Territoriais”. Abordarão a temática as alunas Carolina Vieira Leite e Ana Cristina Pippi, e a enfermeira residente da UPF, Luana Ely.

Os encontros virtuais são gratuitos e destinados à todos os estudantes de graduação e de pós-graduação da Universidade. Para acompanhá-los, acesse AQUI. Ao final das palestras, será disponibilizado um link para os participantes preencherem e assim obterem o certificado de 6 horas complementares.

O evento é promovido pelo Setor de Atenção ao Estudante (Saes) e pelos Diretórios e Centros Acadêmicos da UPF.