Notícias UPF

Projeto de extensão aborda o tema do hiperendividamento e da violência financeira contra os idosos

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Reprodução

Entre as ações extensionistas da Universidade de Passo Fundo (UPF) e da Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (VREAC), está o atendimento a diversos públicos em situação de vulnerabilidade social e econômica. Entre esses públicos, destacam-se os idosos, vítimas do hiperendividamento e da violência financeira. Por esse motivo, visando atender a esse grupo social específico, ocorrerá nesta quarta-feira, dia 3 de julho, às 9h30min, e também na quinta-feira, dia 4 de julho, às 14h, a oficina “O hiperendividamento e a violência financeira contra os idosos”. A oficina é destinada aos idosos atendidos pelo Centro de Referência e Atenção ao Idoso (Creati-UPF). O evento educativo é uma ação extensionista vinculada ao projeto de extensão “Educação financeira e endividamento”, vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH/UPF). 

A oficina será ministrada pelo coordenador do projeto, professor Dr. Ginez Leopoldo Rodrigues de Campos.  De acordo com o professor, é importante destacar que violência financeira, ou abuso financeiro, representa atualmente 21% das denúncias de abusos contra os idosos, de acordo com dados recentes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. “O abuso financeiro ou violência financeira contra os idosos tem por definição a exploração ilegal ou imprópria dos idosos ou o uso não consentido por eles de seus recursos financeiros e patrimoniais, falsificação de documentos jurídicos, negação do direito de acesso e controle dos bens, administração indevida do cartão do segurado do INSS”, disse.  

O objetivo da atividade é prestar informações à população idosa acerca dos riscos do hiperendividamento e do abuso financeiro, o que é muito importante para evitar situações de vulnerabilidade social e econômica na terceira idade. “Muitas situações de hiperendividamento estão relacionadas a contextos de violência ou abuso financeiro que muitos idosos estão vivenciando em decorrência da apropriação indébita dos seus recursos financeiros. Esse abuso financeiro geralmente é praticado por familiares, cuidadores e também por funcionários de bancos e financeiras, ávidos em se apropriar dos recursos dos idosos, por meio do oferecimento abusivo de empréstimos consignados”, avalia o professor.    

O projeto de extensão está articulado a uma política pública nacional que é a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), criada por meio do Decreto Presidencial nº 7.397 de dezembro de 2010. A ENEF consiste em uma política pública que reconhece a educação financeira como uma importante ferramenta educacional no sentido de garantir qualidade de vida a pessoas vulnerabilizadas pelo endividamento e pela inadimplência, fortalecendo, dessa forma, a cidadania financeira, e promovendo a inclusão social.