Notícias UPF

Curso de Ciências Econômicas celebra o Dia do Economista com roda de conversa

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

O curso de Ciências Econômicas da Universidade de Passo Fundo (UPF) promoveu, no dia 13 de agosto, data em que se comemora o Dia do Economista, a roda de conversa “O economista e as possibilidades de atuação no setor privado”. Em sua terceira edição, o evento foi realizado no auditório do Instituto de Ciências Exatas e Geociências (Iceg) e contou com a participação dos egressos Carlos Alberto Spesotto (Pentágono Corretora de Seguros), Renan Elias Fontoura Pszebiszeski (Biolab Sanus Farmacêutica) e Tiago Dalla Corte (XP Investimentos), que debateram o tema. A mediação ficou sob a responsabilidade do professor Dr. Julcemar Bruno Zilli.

Estiveram presentes os docentes e os acadêmicos do curso, além de outros egressos, que ouviram atentamente sobre as trajetórias de vida e profissional dos convidados. Além deles, as egressas Sílvia Bampi e Sandra Balbinot deram depoimentos em vídeo a respeito de suas carreiras.

Segundo a coordenadora do curso de Ciências Econômicas, professora Dra. Cleide Fátima Moretto, foi comum nas falas a importância dos diferentes conteúdos previstos durante a formação, sobretudo em relação aos recursos de análise de dados para a aplicação em diferentes espaços produtivos, com ênfase na área de comércio e serviços, no mercado de seguros, na indústria farmacêutica, no mercado de capitais, na consultoria, na área do agronegócio e no comércio varejista. “Os participantes da roda de conversa exaltaram as habilidades de análise econômica e financeira, de projeção de cenários e de contextualização dos espaços produtivos em nível macroeconômico”, conta.

Conforme a professora, os debatedores também comentaram que a visão sistêmica exercitada durante a faculdade serviu para ampliar as possibilidades de compreensão dos diferentes segmentos de atividade produtiva. “Eles destacaram que há, ainda, muito espaço para o economista ocupar. A retomada do crescimento econômico, em função de menores taxas de juros confirmam essa tendência”, relata Cleide.