Notícias UPF

O que fazer em momentos de crise?

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Foto Divulgação/ Mindandi

Professor da UPF dá dicas a empresários e profissionais para o enfrentamento da crise causada pela Covid-19 nos negócios

Trabalhar com mudanças e renovações faz parte da vida dos empresários, empreendedores e profissionais que atuam nos dias de hoje, porém a crise causada pela pandemia da Covid-19, apresenta um novo cenário nos negócios, por isso é necessário a adoção de novas posturas e medidas.

Segundo o administrador, diretor e professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis da Universidade de Passo Fundo (Feac/UPF), Dr. Verner Luis Antoni, o custo para manter um cliente pode ser de 5 a 25 vezes menor do que captar, por esse motivo é importante manter um relacionamento com o cliente. “ Para não tomar decisões precipitadas em momentos de crise, respire fundo, entenda o contexto e acima de tudo cuide muito bem dos seus clientes atuais. É momento de se buscar equilíbrio entre captação e retenção, entre diagnóstico e operação. Lembrando que cliente que é leal, recomenda ou recompra e tudo isso gera retenção”, disse.

Como gerenciar as relações com os clientes

Para Antoni, não basta que se tenha cadastro dos clientes, mas sim que esses dados sejam utilizados para manter um relacionamento com o cliente. “Fazer gestão da base de dados, saber quais os períodos que o cliente mais compra, quanto ele compra, qual vendedor mais vende, é preciso ser proativo, base de dados não é somente um cadastro”, afirmou.

Além de responder rapidamente às solicitações dos clientes, é preciso que se utilize estratégias de comercialização e comunicação por multicanais de acordo com o público alvo. “ Hoje os clientes trabalham e compram de forma diferente, é preciso definir uma estratégia, para os jovens o meio mais adequado é a mídia social, mas daqui a pouco uma pessoa mais velha prefira um contato pelo telefone, pelo WhatsApp, então em função do público você deve ter uma combinação de meios de comunicação para chegar ao seu cliente”, contudo de acordo com Antoni é preciso ter cuidado, pois apenas 5% das vendas no Brasil hoje são feitas pela internet. “ Isso não quer dizer que a ferramenta não é importante, mas não vamos esquecer que o cliente precisa ter experiências presenciais positivas”, comentou.

Após a compra ou realização do serviço, o pós-venda é fundamental, pois conforme o professor, as mídias sociais são importantes, contudo o que marca o cliente é a sua experiência com a compra ou realização do serviço.

Palavras são mágicas

A forma de recepção e atendimento ao cliente são fatores preponderantes para a concretização da venda e do retorno. “Muito obrigado, por favor e sorrisos fazem a diferença. Por incrível que pareça o vendedor brasileiro é o segundo menos empático no mundo, só perde para a japonesa que pela sua cultura é mais sério. Por isso se questione, será que não está faltando um sorriso, um muito obrigado”, diz Antoni.

Seja proativo

A antecipação é uma das melhores formas de trabalhar. “Quando falamos de setores podemos destacar algumas dicas, como por exemplo: postos de combustível podem ter os dados de quando o cidadão trocar o óleo, de quanto ele roda por semana ou mês; restaurantes, supermercado ou açougues podem atender de forma delivery; máquinas agrícolas podem ser rastreadas, não espere faltar a peça para o que o cliente te procure para fazer a manutenção; seja proativo; médico e dentista procure o cliente, faça o controle das revisões; para as lojas, foi comprovado que quando se ajuda o cliente a montar seu look se vende mais. Enfim são muitas as estratégias que podem ser utilizadas, para decidir onde investir ou cortar gastos se paute de estratégias a partir do mercado e não na crise”, finalizou.