Notícias UPF

Egresso do PPGEdu lança livro sobre Pedagogia como autogoverno

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

O Núcleo de Pesquisa em Filosofia e Educação (NUPEFE) juntamente com o Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo ((PPGEdu/UPF) lançou nesta quinta-feira (02) o livro “Pedagogia como autogoverno em Johan Friedrich Herbart”, escrito pelo egresso do programa, Odair Neitzel, professor da UFFS, Campus de Chapecó. 

Odair fez seu doutorado sob a orientação do professor Dr. Claudio A. Dalbosco e, tanto o doutorado como seu livro, inserem-se no convênio de mútua cooperação internacional com a Universidade de Kassel (Alemanha), mantido pelo PPGEdu desde 2001. Ele lembra que foi nesta Universidade onde Odair realizou doutorado sanduíche em 2016, sob orientação dos professores Dirk Stederoth e Hans-Georg Flickinger.

Para Odair, ter a oportunidade de realizar a experiência do doutorado sanduíche foi de um enriquecimento pessoal e acadêmico extraordinário. Além do contato com pesquisadores de Herbart em universidades renomadas, ele teve a possibilidade de acessar bibliografias especializadas, fundamental para desenvolver e enfrentar algumas questões de sua tese. “Além disso, é preciso considerar a riqueza do contato com outra cultura e país que foi relevante para meu processo formativo. Isso é testemunhado pelo fato da tese resultar em livro sobre um autor da envergadura teórica e importância de Johann Friedrich Herbart. Registro que isso só foi possível pela oportunidade do doutorado sanduíche proporcionado pelo Capes através PPGEdu da UPF”, destacou.

Para o professor Dr. Altair A. Fávero, coordenador do PPGEdu, a publicação da pesquisa de Odair em uma importante editora universitária consolida a qualidade da produção científica do Programa, colocando-o num patamar de excelência. Ele ressaltou que a coordenação tem dado uma atenção especial ao processo de internacionalização por meio de convênios, produções científicas em conjunto, intercâmbio de pesquisadores dentre outras atividades. “O resultado deste efetivo processo de qualificação da produção científica e a internacionalização do programa consolida o Conceito 5 obtido junto à Capes na última avaliação quadrienal”, frisou.

O orientador, professor Dr. Claudio Dalbosco afirmou que o trabalho qualificado de Odair Neitzel, além de auxiliar na consolidação do convênio internacional com a Universidade de Kassel, também contribui decisivamente para introduzir de maneira científica o pensamento de Herbart no cenário intelectual brasileiro. “Precisamente no momento em que ocorre uma cruzada governamental de banalização da educação, o diálogo com um autor clássico do quilate de Johann F. Herbart ajuda aprofundar nossas reflexões sobre problemas educacionais urgentes e o como enfrenta-los de maneira mais apropriada. Este pedagogo alemão valorizou muito a educação escolar, destacando a diferença, em sala de aula, do trabalho intelectual qualificado do professor”, frisou.

O que pensou Herbart?
Johann Friedrich Herbart (1776-1841) sucedeu Immanuel Kant (1724-1804) na cátedra de filosofia na Universidade de Königsberg, localizada nos domínios do antigo Império Prussiano Oriental. De grande envergadura intelectual, Herbart tratou de temas relacionados a várias áreas do conhecimento humano, antecipando, inclusive, o inconsciente, estudado exaustivamente depois, nas primeiras décadas do século XX, por Sigmund Freud. Herbart notabilizou-se, especificamente no campo da pedagogia, por defender a dimensão formativa do ensino, desenvolvendo de maneira muito original uma teoria da didática. Acentua, em suas ideias pedagógicas, o papel ativo do aluno no seu processo de aprendizagem, destacando por isso a importância que o professor deve dar à experiência de mundo e ao convívio social e cultural do aluno.