Notícias UPF

AHR guarda a memória e a história do município

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Natália Fávero

Arquivo Histórico Regional (AHR) completa 35 anos em 2019

Leis do Império, acervo Nicolau Araújo Vergueiro e cópia do documentário do centenário de Passo Fundo são alguns dos instigantes e raros documentos que compõem o acervo do Arquivo Histórico Regional da Universidade de Passo Fundo (AHR/UPF). O espaço subsidia inúmeras pesquisas, especialmente de estudantes de Passo Fundo e região, e guarda a história local, disponibilizando-a a toda comunidade. Em 2019, o AHR completa 35 anos de história.

O Arquivo é um laboratório do Programa de Pós-Graduação em História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (PPGH/IFCH) da Universidade. “O Arquivo Histórico Regional é um centro regional de guarda, conservação e disponibilização à consulta ou pesquisa dos fundos documentais de seu acervo”, explica a coordenadora do AHR, professora Dra. Gizele Zanotto.

O Arquivo foi criado em 1984 como Museu e Arquivo Histórico Regional, para ser um centro de referência e laboratório para guarda de acervos que dessem suporte à pós-graduação em História. Posteriormente, Museu e Arquivo foram desmembrados, possibilitando a profissionalização de ambos em suas funções, perfis e objetivos específicos. Desde a década de 1990, o AHR está localizado no Campus III da UPF, no centro de Passo Fundo.

O local guarda uma série de materiais como periódicos (jornais, revistas, almanaques, etc.), processos judiciais, mapas, fotografias, livros, documentos legais, registros de compra e venda de terra, documentos de entidades sociais, entre outros. Eles são classificados como comunicação social, públicos, sociais, arquivos pessoais, biblioteca e fundo iconográfico.

A acadêmica do curso de História, Ana Vitória Rohrig da Silva, afirma que é um privilégio fazer estágio no AHR. “Cuidar desses documentos é uma preciosidade e uma responsabilidade enorme. A experiência que estou tendo aqui é de extrema importância para a minha formação, já que pretendo seguir nessa área”, comenta a acadêmica.

Acervo raro

Entre os destaques do AHR, está a coleção de leis do Império, que propicia o estudo e a compreensão da organização brasileira no século XIX. Além disso, o Arquivo conserva o acervo do médico e político passo-fundense Nicolau Araújo Vergueiro, composto de biblioteca, periódicos, documentos, memórias, móveis e objetos. 

O Arquivo guarda ainda a documentação da antiga Secretaria de Terras de Passo Fundo, cujos registros apresentam a dinâmica da divisão territorial do norte do estado. A cópia do filme-documentário das festividades dos cem anos de Passo Fundo também faz parte do acervo. Ao longo de 1957, ano do centenário de Passo Fundo, foram registrados eventos, festas, atividades e celebrações do aniversário do município. O documentário está disponível no endereço www.youtube.com/watch?v=n_ueDxZiP3U.
 
Os serviços do AHR

O objetivo do Arquivo é a guarda, conservação e disponibilização à consulta de fundos documentais. “O serviço principal ofertado é de pesquisa. Também ofertamos os serviços de digitalização de documentos, impressão de materiais, oficinas de higienização e conservação de documentos, restaurações preventivas e visitas guiadas a grupos interessados”, salientou a coordenadora do AHR.

Os pesquisadores e consulentes que utilizam os fundos documentais do Arquivo são compostos, em sua maioria, por estudantes de graduação e pós-graduação, majoritariamente de História, mas também de Jornalismo, Arquitetura e Educação. Também são atendidos estudantes do ensino fundamental e médio, bem como advogados, jornalistas e professores, entre outros.

Conservando a história há mais de três décadas

Os Arquivos, como centros de documentação, são imprescindíveis para a manutenção de registros que tornam possível o estudo e a divulgação das memórias e histórias. A professora Gizele explica a diferença entre os Arquivos. “Há arquivos administrativos, de entidades, órgãos públicos, empresas e há os arquivos históricos, que, tal como o AHR, têm como foco a guarda de documentos relativos à história local ou regional. Ficam sob sua guarda patrimônios documentais que, mesmo que sejam integrantes de acervos privados, são bens coletivos que devem estar à disposição da comunidade”, ressalta a coordenadora do AHR.

Conservação do acervo

Todo acervo já catalogado é acessível aos interessados. Para manter a conservação do acervo, é preciso utilizar o material com cuidado. “É feito um registro dos pesquisadores e a exigência é para manusear os documentos com cuidado, usando luvas, que são disponibilizadas no local”, observou Gizele.

Os usuários também podem digitalizar os materiais, de forma preventiva, sem o uso de flash. Materiais digitalizados do acervo são disponibilizados para consulta por terminais de computador, os demais são manuseados diretamente pelos pesquisadores e interessados.

Comemorações para o aniversário

Entre as ações mais destacadas, para além das atividades cotidianas, o Arquivo, em parceria com o Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF), promove edições locais da Semana Nacional de Arquivos e o projeto Museu a Céu Aberto, acerca do Cemitério Vera Cruz.

Entre as atividades em comemoração aos 35 anos, o AHR concentra as ações na Semana Nacional de Arquivos, em junho. Um dos eventos será o 1º Encontro de Pesquisadores da História de Passo Fundo, realizado pelo Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF) e AHR.