Notícias UPF

Projeto desenvolvido na UPF visa a eficiência energética

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Lauriane Agnolin

A sustentabilidade, aliada à consciência ambiental, é alvo de discussões em distintas esferas sociais. Por ser um ecocampus, a Universidade de Passo Fundo (UPF) acompanha essa tendência desenvolvendo atividades acadêmicas que visam a otimização dos prédios universitários por meio do Projeto de Pesquisa em Ecoeficiência, o qual tem a coordenação do professor Me. Marcos Frandoloso.

Institucionalizado desde 2006, na Faculdade de Engenharia e Arquitetura (FEAR), envolve egressos e acadêmicos do curso de Arquitetura e Urbanismo em três linhas de investigação voltadas à análise do consumo de recursos naturais na Instituição. “O grupo estuda as estruturas para avaliar, por exemplo, os usos de iluminação, condicionamento térmico e equipamentos nas unidades acadêmicas”, explica Frandoloso. Ainda, de acordo com ele, “o objetivo é qualificar o espaço e adequar o campus às demandas em pesquisa e extensão, além de permitir um planejamento institucional voltado à responsabilidade socioambiental”.

Com, aproximadamente, 15 alunos voluntários que analisam questões energéticas das estruturas e convertem em estudo teórico, através da elaboração de relatórios, o projeto permite a formulação de estratégias para a racionalização do desenvolvimento sustentável na Universidade. No sexto semestre da graduação, a acadêmica Alessandra Baggio Zardo acredita que “atualmente, não há como produzir nada voltado à Arquitetura e Urbanismo sem considerar essas questões abordadas, não somente no projeto, mas na estrutura curricular do curso e colocadas em prática, por meio da pesquisa”, salienta ela, há um mês no grupo.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, a arquiteta e egressa Angélica Bier defende que o Projeto de Pesquisa em Ecoeficiência possibilita uma abrangência de conteúdo ainda maior, despertando a consciência sustentável. “Nos faz repensar a criação dos projetos, além de permitir a troca de experiência com estudantes, ainda em formação, que serão futuros profissionais”, finaliza.