Notícias UPF

Curso de Farmácia da UPF: duas décadas de uma trajetória consolidada

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação/UPF

No dia 14 de setembro de 2017, o curso de Farmácia do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade de Passo Fundo (ICB/UPF) comemorou 20 anos de existência. A data foi celebrada por docentes, discentes, funcionários, egressos, dirigentes da Instituição e membros da comunidade em um evento realizado durante a XIV Semana Acadêmica do curso de Farmácia.

A abertura do evento foi feita pelo grupo de dança da UPF. Na sequência, a egressa do curso e perita criminal, farmacêutica Tiane Mucini, ministrou a palestra intitulada “Perícia criminal”. Presente no evento, a diretora do ICB, professora Jurema Schons, falou sobre a trajetória do Instituto ao qual o curso de Farmácia está vinculado, ressaltando a qualidade do curso, evidenciada por meio de várias avaliações externas.

Na solenidade, a trajetória do curso foi lembrada pela coordenadora, professora Miriam T. Knorst, através de um histórico, ilustrado com fotos. A coordenadora ressaltou que essa história iniciou em meados da década de 1990, após a consolidação dos cursos da área da saúde, já existentes na UPF. “Na época, os cinco cursos de Farmácia do Rio Grande do Sul estavam localizados na região metropolitana, no sul e no centro do estado. A região norte do Rio Grande do Sul, centro oeste de Santa Catarina e o sul do Paraná não dispunham de instituições de ensino superior com graduação em Farmácia e a região norte gaúcha não era suficientemente atendida por farmacêuticos. No ano de 1997, a UPF recebeu a sua primeira turma”, contou ela.

O curso de Farmácia inicialmente ocupava instalações junto à Faculdade de Medicina e ao curso de Enfermagem no Campus II, em frente ao Hospital São Vicente de Paulo. Em maio de 2006, foi efetivada a mudança para o Campus I, em um prédio próprio. “O prédio contempla laboratórios didáticos, salas de aulas, áreas administrativas, salas de professores, área para o Diretório Acadêmico e Empresa Júnior, o Laboratório Escola de Análises Clínicas (LABE), o laboratório magistral – que produz saneantes e antissépticos para a UPF –, e áreas de convivência totalizando 2.484,59 m² de área construída, dividida em três pavimentos”, comentou a coordenadora do curso.

Ao longo dessas duas décadas, o curso já formou 607 farmacêuticos e 105 especialistas nas diversas especializações que foram oferecidas. A professora Miriam também destacou que construir uma história de 20 anos dá muito trabalho. “É necessário dedicação e empenho na busca de um objetivo maior: formar farmacêuticos éticos e competentes. A união de esforços e o compromisso coletivo fizeram e fazem com que os alunos formados na UPF ocupem lugares de destaque no mercado de trabalho. Atualmente, a taxa de empregabilidade do curso é de 100%”, afirmou.

Para a coordenadora do curso, o campo de atuação do farmacêutico é diversificado e está em contínuo crescimento e transformação. “Hoje, encontramos egressos do curso atuando, principalmente, em farmácias comerciais, públicas, hospitalares, homeopáticas e de manipulação; indústrias de medicamentos e produtos cosméticos, saneantes, produtos biológicos e para diagnóstico; órgãos de regulamentação e fiscalização profissional e sanitária; saúde pública; análises clínicas e toxicológicas; perícias técnicas e/ou criminais, entre outros”, disse, finalizando seu discurso agradecendo a todos que, de alguma forma, contribuíram para a edificação do curso de Farmácia da UPF. Após a solenidade, os presentes confraternizaram em um coquetel.