Notícias UPF

Aula inaugural do projeto Go Code [Blocks] aconteceu nessa segunda-feira (4)

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Ao todo, 20 alunos de Ensino Médio da rede pública de ensino de Passo Fundo participarão do curso que acontecerá nos meses de setembro e outubro

Teve início na tarde dessa segunda-feira, 4 de setembro, a segunda edição do projeto Go Code [Blocks]. O projeto, desenvolvido pelo Instituto de Ciências Exatas e Geociências da Universidade de Passo Fundo (Iceg/UPF), por meio dos cursos da área de Tecnologia da Informação, oferece um curso de capacitação em lógica de programação e habilidades profissionais de mercado para jovens de Ensino Médio da rede pública de ensino de Passo Fundo. A aula inaugural aconteceu no auditório do Iceg e reuniu os 20 alunos selecionados para participar do projeto, professores do Iceg, além de familiares dos estudantes. 

O curso é uma versão reduzida inspirada na metodologia do Go Code, realizado em Porto Alegre há três anos pela Fundação Mauricio Sirotsky Sobrinho. O objetivo do projeto é estimular o pensamento computacional, para que os jovens enxerguem o conhecimento da tecnologia digital como ferramenta básica para todas as profissões. Em Passo Fundo, a ação é promovida com o apoio da Coleurb, da Atua Sistemas de Informação, da Ren9ve Softwares e da Splora. 

Nesta edição, foram 88 alunos inscritos de 14 escolas. Os 20 go coders selecionados terão aulas semanalmente, nas segundas e quartas-feiras, durante os meses de setembro e outubro. As aulas serão ministradas pelos professores dos cursos de Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e o Mestrado em Computação Aplicada, em um trabalho que será voluntário. Por meio de uma interface gráfica baseada em blocos, os jovens serão desafiados a criar aplicativos Android e são inspirados a utilizar a tecnologia em suas carreiras. Para isso, os alunos terão módulos semanais, com disciplinas que envolvem aulas práticas e aulas teóricas, aulas de design thinking, aulas de programação para mobile, aulas de empreendedorismo de inovação, entre outras. Ao final das atividades, eles receberão um certificado de curso de extensão da UPF. 

Durante a aula inaugural, o coordenador do projeto Go Code [Blocks], Eder Pazinato, deu as boas-vindas aos alunos e disse ser uma grande satisfação realizar a segunda edição do curso. “Que bom que estamos na segunda edição. A gente teve muito sucesso no ano passado e eu só posso desejar aos alunos um bom curso e esperar que eles aproveitem ao máximo essa oportunidade de trabalhar com tecnologia. É uma oportunidade de os alunos crescerem e terem um contato mais próximo e pensar um pouco mais sobre sua futura profissão”, comentou. 

Para o diretor do Iceg, professor Cristiano Cervi, essa segunda edição do projeto abre um canal muito grande com a comunidade, especialmente os jovens, alunos da educação básica, uma vez que eles já começam a participar de um ambiente universitário, interagindo com professores, tendo acesso a tecnologias que eles só enxergariam no momento de um curso superior. “É uma oportunidade de transformar a vida deles e acreditamos que essa é uma oportunidade única. Para nós, é um motivo de muita satisfação poder contar com eles aqui no Iceg”, destacou. 

O coordenador da Divisão de Extensão, ligada à Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (VREAC) da UPF, professor Marcio Tascheto, também ressaltou a importância do projeto na perspectiva de aproximar a UPF da comunidade. “É uma oportunidade muito grande para eles se conectarem com uma realidade cada vez mais presente na vida de todos nós, mas é uma oportunidade maior nossa de estar aprendendo com eles. Extensão universitária é isso. Uma relação direta com a comunidade. Gostaria de parabenizar todos os professores envolvidos pela sensibilidade do trabalho que estão fazendo, isso não é pouca coisa, é um desafio cada vez maior nosso enquanto Instituição”, comentou o professor.