Notícias UPF

Acadêmicos de Ciências Biológicas realizam viagem de estudos florestais e da vegetação

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação/UPF

A fim de conhecer diferentes tipologias da vegetação do Rio Grande do Sul, os acadêmicos de Ciências Biológicas da Universidade de Passo Fundo (UPF) realizaram, nesse domingo, dia 3 de dezembro, e seguem até essa segunda-feira, dia 4 de dezembro, uma viagem de estudos florestais e da vegetação. O itinerário contemplou uma viagem até o município de Derrubadas, na divisa com a Argentina, onde se localiza o Parque Estadual do Turvo.

A viagem foi uma promoção da disciplina de Silvicultura ambiental e oportuniza o estudo das principais espécies vegetais arbóreas nativas de cada uma das regiões. Além disso, prepara os acadêmicos para atividades profissionais que envolvam as comunidades arbóreas nativas e possibilita conhecer a maior floresta preservada do Rio Grande do Sul, protegida pelo Parque Estadual do Turvo. “São 17.458 hectares. É o maior e mais antigo parque do RS, criado em 1947”, conta o professor Jaime Martinez, que acompanha a viagem de estudos e ministra a disciplina que oportunizou a viagem.

Conhecendo a vegetação

Em cada região, o grupo tem coletado dados sobre relevo, coordenadas geográficas e altitude do lugar e as principais espécies de árvores nativas. “Cada acadêmico preparou, durante o semestre, uma apresentação sobre árvores que seriam encontradas em diferentes paisagens ao longo da viagem de estudos”, explica Martinez.

Em Carazinho, o grupo permaneceu um bom período, estudando espécies de árvores nos fragmentos de florestas perto da cidade e de árvores no ambiente urbano. Também foram recepcionados no Museu Olivio Otto, onde foram atendidos pelo coordenador Cláudio Braun, que explanou sobre os ciclos econômicos do município, com destaque para o ciclo da madeira. Ainda em Carazinho, foram recepcionados pela bióloga Camila Hunning, diretora do Departamento Municipal do Meio Ambiente, abordando sobre os trabalhos de conservação que estão sendo realizados no Parque Natural Municipal de Carazinho.

Conforme o professor, ao longo da viagem, os acadêmicos estudaram diferentes ecossistemas, tais como savana, na região entre Passo Fundo e Carazinho; Floresta Estacional Semi-Decidual, entre Carazinho e Sarandi; Floresta Ombrófila Mista, também entre Passo Fundo e Sarandi; e a grande Floresta Estacional Decidual do Parque Estadual do Turvo. “Da Floresta Estacional Semi-decidual foram estudadas árvores como a cabreúva, o vacum, o angico e o catiguá, entre outras. Da Floresta Estacional Decidual, foram estudadas árvores como o Alecrim, a Caixeta, a Grápia, o Jacaratiá, o Cincho, a Maria Preta”, comenta ele, destacando que a viagem contribuiu para ampliar o conhecimento dos acadêmicos sobre as árvores nativas de diferentes regiões do Rio Grande do Sul.