Notícias UPF

Uma Universidade, diferentes culturas

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Camila Guedes

Na programação da VI Semana do Conhecimento, oficinas interculturais promovem aproximação com saberes de diferentes culturas

Oito exercícios, realizados em cerca de 12 minutos, mas que fazem parte de uma história que data de 1127 a 1279, na China. Aparentemente simples, o Ba Duam Jin, semelhante ao conhecido Tai Chi, exercício físico chinês, fez com que acadêmicos e professores da Universidade de Passo Fundo (UPF) conhecessem o segredo da disposição e vitalidade do povo chinês. A atividade ocorreu na tarde desta terça-feira, dia 3 de setembro, durante uma das oficinas interculturais que fazem parte da programação da VI Semana do Conhecimento. 

Desenvolvidas em parceria com a Assessoria Internacional (AI), as oficinas têm como principal foco aproximar as diferentes culturas que fazem parte da região de atuação da UPF. A proposta vai ao encontro ao tema desta edição da Semana do Conhecimento que é “Universidade em transformação: integralizando saberes e experiências”. “Essa interculturalidade vai estar cada vez mais presente dentro da Universidade, porque as pessoas estão transitando e se movimentando entre países. Essa fronteira que a gente conhece, geográfica, é muito fácil de ultrapassar e essas diferentes culturas influenciam muito e positivamente na transformação da Universidade também”, explicou a coordenadora da AI, professora Dra. Luciane Sturm. 

Até quinta-feira, 5, serão mais de 10 oficinas que apresentarão à comunidade acadêmica a riqueza com que a Universidade e as cidades ao seu entorno são formadas. Entre elas estão oficinas de cultura polonesa, chinesa, italiana, afro, mexicana e indígena, além de uma feira de artesanato intercultural, que ocorre na quarta-feira, 4. “É um universo muito complexo e nada melhor do que conhecer e aproximar essas culturas da Universidade, porque não é um saber que se aprende em sala de aula, é um saber que tem que ser compartilhado e a melhor forma de isso acontecer é pelas próprias pessoas, pelas suas vivências”, completou a professora. 

“Nossa herança”
Ministrada pelo biólogo Eric Chen, a oficina desta tarde foi um mergulho na cultura chinesa. Natural de Taiwan, Eric, cujo nome em chinês é Chen Chin Ping mora no Brasil com a família há cerca de 11 anos, cinco deles em Passo Fundo. Além de ensinar e demonstrar o Ba Duam Jin, Chen também falou sobre a língua chinesa, o mandarim, e sobre a culinária do país. “Alguns especialistas consideram a língua chinesa como a mais difícil do mundo, mas é também a mais bonita”, brincou. 

Traduzido como “Oito peças de brocado", o nome Ba Duam Jin designa sequências de oito exercícios de Qigong utilizadas pela medicina tradicional chinesa como forma de manter ou recuperar a saúde e como um treino básico por diversos estilos de artes marciais chinesas. “É um exercício chinês para promover a saúde. É nossa herança. E como em Passo Fundo existem poucas famílias chinesas eu vim para compartilhar um pouco esse conhecimento”, ressaltou Chen. 

Sobre a Semana do Conhecimento
A Semana do Conhecimento é um evento que ocorre anualmente na UPF com o objetivo de aproximar práticas de ensino, de pesquisa, de pós-graduação e de extensão.  Por meio de processos dialógicos, de vivências e experiências, e visa fortalecer e consolidar espaços de troca de conhecimento e saberes, envolvendo diferentes sujeitos da comunidade interna e externa.

A programação contemplará diversas atividades, tais como: palestras, roda de conversas, painéis temáticos, apresentação de trabalhos, cine-fórum, entre outras. As atividades ocorrem nos turnos da manhã, tarde e noite em diferentes espaços da Universidade. 

Confira aqui a programação dos próximos dias e mais informações sobre o evento.