Notícias UPF

UPF Parque conta com novo equipamento

  • Por: Caroline Simor
  • Fotos: Divulgação

TG/DSC fornece informações sobre efeitos térmicos como fusão, cristalização, transições sólido-sólido e reações químicas

Com recursos do projeto “Ampliação da Estrutura da Central Multiusuários do Parque Científico e Tecnológico do Planalto Médio – UPF”, aprovado no Edital para Parques Tecnológicos do Governo do Estado do Rio Grande do Sul 2017, a Universidade de Passo Fundo (UPF) passa a contar com um novo equipamento. O TG/DSC vai ampliar as atividades dos programas de pós-graduação, integrando a graduação, as empresas incubadas no Parque e a sociedade em geral. A instalação ocorreu no dia 30 de agosto, no UPF Parque.

O projeto é coordenado pela professora Dra. Luciane Maria Colla, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos (PPGCTA), e pelo professor Dr. Charles Leonardo Israel, docente do Programa de Pós-Graduação em Projeto e Processos de Fabricação (PPGPPF) da UPF. 

Luciane explica que o equipamento usa uma técnica destrutiva no ramo de análises térmicas, na qual se monitora a variação da massa de uma amostra em função da temperatura ou do tempo em um ambiente de temperatura e atmosfera controladas. De forma resumida, ele fornece informações sobre efeitos térmicos caracterizados por mudanças na entalpia, como fusão, cristalização, transições sólido-sólido e reações químicas, e também sobre a presença de impurezas. 

Nas últimas décadas, as técnicas termoanalíticas adquiriram importância crescente em todas as áreas de conhecimento na química básica e aplicada. Em diferentes áreas da ciência aplicada, pesquisadores e técnicos especializados, de diferentes segmentos do setor produtivo, têm recorrido aos métodos termoanalíticos para desenvolver estudos relacionados a estabilidade térmica de materiais; caracterização de materiais; mecanismos e cinética de decomposição térmica. 

A função é definir vida útil de produtos; otimização das condições de síntese de novos materiais; determinação do grau de pureza ou composição de algumas misturas; desenvolvimento de métodos termoanalíticos de análise, entre outros. “O equipamento vai permitir um ganho enorme para a ciência dos nossos cursos de pós-graduação (PPGCTA) e graduação (Engenharia de Alimentos, Engenharia Química, Farmácia e afins), podendo ser útil às empresas incubadas no UPF Parque e também para a sociedade, uma vez que pode ser utilizado na caracterização de novos ingredientes e alimentos, fármacos, entre outros. Por exemplo, no PPGCTA, uma das finalidades será a caracterização de compostos bioativos microencapsulados para adição em novos produtos alimentícios”, destacou a coordenadora.

Quer saber mais sobre assunto?
No dia 10 de outubro, como uma das metas do projeto, será realizado um curso teórico/prático sobre análises termogravimétricas. O público-alvo é composto por alunos de graduação e pós-graduação, empresas do setor alimentício e farmacêutico. 

As inscrições serão abertas em breve.