Notícias UPF

Laboratório de Estudo das Crenças promove debate sobre intolerância religiosa

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Diálogo sobre o respeito à diversidade do crer foi tema de evento no sábado, 28 de setembro, na Casa de Cultura Vaca Profana, em Passo Fundo. A atividade foi promovida pela equipe do Laboratório de Estudos das Crenças, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Passo Fundo (PPGH/UPF), com apoio da Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo (CDHPF) e da Casa de Cultura Vaca Profana. 

O tema do evento, "Não chuta que é macumba", remete à valorização das oferendas afrorreligiosas como forma de agradecer, homenagear e honrar os orixás, divindades, e outras entidades da umbanda, batuque e candomblé. A iniciativa está em sua segunda edição e teve como participantes Bruna de Oxum (Yalorixá da Nação Cabinda) e Ipácio Carolino (Casa Branca Aldeia de Oxóssi). A mediação foi feita pelo mestrando em História e estudioso das crenças afrorreligiosas, Jeferson Sabino Candaten.

A proposta da atividade foi dar visibilidade ao tema em tempos de atos intolerantes crescentes, sobretudo voltados aos cultos afro. Legalmente, a valorização da diversidade brasileira em termos culturais, étnicos e religiosos está assegurada na Constituição de 1988. “Mesmo estando na Constituição, a realidade ainda mostra que esses princípios ainda estão muito longe de uma vivência efetiva. O debate que propomos está pautado na valorização da diferença e no respeito do ser e do crer. O diálogo, a convivência, a compreensão e o respeito a diferença religiosa implicam em nossa atuação como membros da plural e complexa sociedade brasileira. A vivência do respeito é uma prática cidadã”, ressaltou a organizadora da atividade, professora Dra. Gizele Zanotto.

O evento também contou com a abertura da exposição de dez obras da artista plástica, Elka Gasparin, estudante do curso de Artes Visuais da UPF, que produziu a mostra "Rainhas do Povo", destacando as divindades afrorreligiosas. A mostra continua em exposição na Casa de Cultura Vaca Profana, na rua Paissandu, 180.