Notícias UPF

Obras no pátio interno dos museus despertam a curiosidade dos visitantes

  • Por: Texto: Thaiane de Almeida – Edição: Assessoria de Imprensa UPF
  • Fotos: Divulgação

Esculturas com materiais diversos captam o olhar de quem transita pelo Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto

Seja pelo tamanho, pelo formato ou até mesmo pelo material utilizado, as obras do pátio interno do prédio da Antiga Intendência de Passo Fundo, que hoje abriga o Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (MAVRS) e o Museu Histórico Regional (MHR) – ligados à Vice-Reitoria de Extensão em Assuntos Comunitários (VREAC/UPF) –, chamam a atenção de quem passa pelo Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto.

Inspirada no conto “A Escrita de Deus”, de Jorge Luis Borges, a escultura em resina do artista uruguaio Gustavo Nakle, que recebeu o título da obra de Borges, representa a luta constante entre um jacaré e uma centopeia. A obra de nove metros de altura já habita o jardim dos museus há 24 anos. Segundo Nakle, ela versa sobre o conceito de equilíbrio de forças. Enquanto a centopeia se enrosca no corpo do jacaré para sufocá-lo, este contra-ataca ao pressionar as mandíbulas na cabeça do quilópode. A ideia do artista busca, de certa forma, representar o ponto de equilíbrio que é preciso manter entre as forças pelas quais transitamos e que nos animam.

As obras dos artistas gaúchos Ana Norogrando e Luiz Grespan atraem os olhares do público devido a sua estética e a sua história, respectivamente. A escultura frontal “H-Uno”, feita com barras e chapas de ferro, massa plástica e tinta acrílica, foi doada ao acervo do MAVRS em 1999 por Norogrando e faz parte de uma série de representações de totens indígenas. Popularmente chamada de “Dois Anjos”, a obra de Luiz Grespan foi projetada para a decoração do Jardim do Clube Xodó, antiga casa noturna do município de Soledade. A obra inicial era composta apenas das figuras humanas de um casal. Contudo, para passar uma sensação mais suave ao público, asas foram adaptadas à estrutura de metal, transmitindo assim um toque angelical à composição.

Quem quiser conferir de perto essas e outras obras, pode visitar os museus que, neste período de férias, estão abertos à comunidade de terça à sexta-feira, das 13h às 17h. Para saber mais sobre o MAVRS e o MHR, siga os perfis no instagram @museu_mavrs e @museu_mhrpf.