Notícias UPF

Jornada em Movimento: Encontro com Escritores envolve mais de 3,5 mil estudantes nesta semana

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Camila Guedes

Nesta sexta-feira, dia 30 de novembro, o município de Marau recebeu o último encontro do ano

Plateia lotada e olhos atentos. Assim as escritoras Helena Gomes e Simone Pedersen foram recebidas por mais de 1,7 mil estudantes no município de Marau durante o Encontro com Escritores, uma das atividades do projeto “Caminhos e estações: leitores e autores” das Jornadas Literárias da Universidade de Passo Fundo (UPF). O Encontro é o momento em que os leitores convivem um pouco com os escritores das obras lidas durante o semestre. Em Marau, a atividade foi realizada na Casa de Cultura.



Esse foi o último encontro do ano do projeto que, desde o início de 2018, tem promovido ações nos municípios de Passo Fundo, Marau e Lagoa Vermelha. “Caminhos e estações: leitores e autores” faz parte do projeto Jornada em Movimento, que ocorre nos anos em que não há edição da Jornada Nacional de Literatura e tem como objetivo ser uma ação de formação permanente de leitores. Para isso, as atividades foram realizadas em três momentos: o curso de extensão “A leitura multiplicada: a formação do agente de leitura”, as Estações de Leitura e o Encontro com os Escritores. 

Além da parceria com as prefeituras de Marau, Lagoa Vermelha e Passo Fundo, as editoras Besourobox, Moderna, Nova Fronteira, Avis Brasilis e Biruta, o projeto Jornada em Movimento também contou com o apoio cultural do Sesc. 



Brilho nos olhos
No município de Marau, o projeto foi realizado com todas as 26 escolas municipais. Ao todo, 5 mil estudantes do ensino fundamental e 3 mil da educação infantil se envolveram com as atividades ao longo de todo o ano. Na opinião da coordenadora pedagógica dos anos iniciais da Secretaria de Educação Maikyeli Orsato Decesaro, o projeto é magnífico e o envolvimento das escolas foi espetacular. “A gente vê o brilho nos olhos dos alunos quando apresentam os trabalhos, quando leem as obras. E hoje, para eles, é um momento muito marcante, porque é o momento em que eles conhecem realmente a pessoa que escreveu o livro que eles leram, então é um projeto incrível e muito importante”, destacou. 



A secretária adjunta de educação de Marau Naura Bordignon disse que o projeto é um grande incentivo para a leitura. “Acho que isso é muito relevante no processo de incentivo para que as crianças continuem lendo cada vez mais. A Secretaria de Educação desde sempre abraçou esse projeto com muita dedicação e acreditando muito nele. Estamos encantados com o projeto e percebendo a alegria de todas as crianças”, completou. 
“A literatura é capaz de transformar um ser humano”

Alegria que pode ser vista no rosto de cada um dos estudantes. Enquanto contava suas histórias, Simone Pedersen arrancou sorrisos dos pequenos leitores. Autora de 43 livros entre romance, contos, crônicas, poemas e literatura infantil e juvenil, Simone acredita que a literatura é capaz de transformar um ser humano. Na opinião de escritora, por meio da literatura, as pessoas têm condições de viver experiências que jamais teriam. “Todos esses movimentos são muito importantes para a formação do ser humano, mais ainda para uma criança. Você promove uma reflexão, promove um diálogo com o mundo. Acho que a pessoa que eu sou hoje é resultado de tudo que eu vivi, mas também de tudo que outras pessoas viveram e que eu tomei conhecimento por amizade pessoal ou por leitura. Leitura é essa ponte, ela lhe traz experiências de pessoas do mundo inteiro. É fantástico”, ressaltou. 



Com quase 50 livros publicados, a escritora Helena Gomes vê na literatura um universo mágico, mesmo quando uma história é baseada em fatos. “Quando você começa a ler você imagina e se coloca no lugar do personagem e exercita essa perspectiva diferente. Quando você se coloca no lugar do outro, sua visão de mundo se modifica e você passa a entender o outro, mesmo que você não concorde com ele, mas você passa a entender”, disse. Na opinião da escritora, todos os exercícios de leitura de mundo, de compreensão de texto são importantes para o desenvolvimento de um ser humano, mesmo ele sendo adulto. “Quando você tira isso, não valoriza a cultura, não investe em cultura, acha que isso está passando ideologia x, y, z, você corta um processo extremamente importante”, finalizou.