Notícias UPF

Governo do Estado lança diretrizes estratégicas para a inovação

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Daniela Barcellos/Piratini

A UPF esteve representada pelo coordenador do UPFParque e pelo supervisor de Polos de Inovação Tecnológica

O Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia do estado do Rio Grande do Sul elaborou um estudo com as diretrizes estratégicas para a inovação no estado, visando aos próximos 10 anos. O lançamento do documento ocorreu nessa quinta-feira (13), no Palácio Piratini, em Porto Alegre, e contou com a presença do coordenador do Parque Científico e Tecnológico (UPFParque), professor Dr. Maciel Donatto, e do supervisor de Polos de Inovação Tecnológica, Laudir Auozani, além de lideranças políticas e representantes de instituições de ensino, pesquisa e inovação.

O estudo intitulado “RS - Um estado de inovação, Diretrizes estratégicas – 2018/2028” apresenta o cenário, os objetivos e as macrodiretrizes de inovação para nortear projetos e programas visando à modernização de setores tradicionais e de novos setores da economia. A ideia, segundo os organizadores, é dobrar a taxa de crescimento do PIB gaúcho em dez anos (2018/2028), apostando na inovação e no empreendedorismo para gerar desenvolvimento econômico e social. 

O material apresenta também o Sistema Gaúcho de Inovação (SGI) e propõe ações estratégicas de longo prazo, cuja responsabilidade de implantação exige parcerias e ações orientadas. O documento identifica as novas tecnologias essenciais para o futuro competitivo do setor produtivo gaúcho, capaz de promover desenvolvimento sustentável para o estado. As ações apontam diretrizes estratégicas para que a meta de dobrar o PIB seja conquistada com os olhares voltados para questões que envolvem educação, desenvolvimento de talentos, ambiência favorável à inovação e ao empreendedorismo, governança compartilhada de objetivos e responsabilidades, potencialização de recursos e competências, e sociedade mobilizada para desenvolver o estado com a inovação. 

A UPF integrou diversas frentes que pautaram a elaboração do documento, como um workshop realizado neste ano que contou com a presença do supervisor Auozani e do professor Donatto. Na oportunidade, foram identificadas as tecnologias determinantes para a economia do Rio Grande do Sul: manufatura avançada, inteligência artificial; computação na nuvem; software e harware; internet das coisas; materiais avançados; eletrônica e ótica avançada; biotecnologia; sistemas de geração, armazenamento e recuperação de energia, além de dispositivos web e comunicação móvel.

Fundo para estimular a inovação
Na oportunidade, foi assinada a constituição do Fundo Centelha, no valor de R$ 4 milhões, para estimular a criação de empreendimentos inovadores e a cultura do empreendedorismo inovador em todo o país. O projeto da Fapergs foi um dos 21 projetos aprovados para receber recursos do Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores – Programa Centelha –, via Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).  

O Centelha nasceu de uma demanda do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), no conjunto de suas Fundações, junto à Finep e ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para a construção de um programa nacional de fortalecimento dos sistemas locais de inovação, com o fomento a startups e ideias inovadoras.