Notícias UPF

Vencedores do Prêmio Sesc de Literatura conversam com leitores na UPF

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Natália Fávero

Os jovens escritores Juliana Leite e Tobias Carvalho participaram de um encontro com estudantes, professores e agentes de leitura das Jornadas Literárias

As obras “Entre as mãos”, de Juliana Leite, e “As coisas”, de Tobias Carvalho, têm algo em comum: além de serem vencedoras do Prêmio Sesc de Literatura 2018,  suas narrativas são ousadas e elegantes.  A construção dessas obras e a história desses jovens escritores foram compartilhadas em uma conversa com estudantes, professores e agentes de leitura das Jornadas Literárias de Passo Fundo nesta quinta-feira, 3 de outubro, na Universidade de Passo Fundo (UPF). A ação é do projeto Jornada em Movimento, em parceria com o Sesc.

Jovens escritores com textos maduros na temática e na estética. “São escritores jovens e já tão importantes na literatura”, destacou um dos coordenadores das Jornadas Literárias, professor Dr. Miguel Rettenmaier.

Durante o evento, Carvalho destacou a relação entre a literatura e os jovens. “Os jovens continuam lendo. Antigamente, pensávamos que a literatura era uma coisa elevada, nobre, só para poucos, e ela está cada vez menos isso. Ela tem que ser cada vez mais pra todo mundo, para todos os públicos e gostos. Se a pessoa diz que não gosta de ler é porque ela ainda não encontrou um livro que tem a ver com ela”, ressaltou o escritor.

As Jornadas Literárias são consideradas uma grande referência para a escritora Juliana. “No meio dos nossos sonhos está o de viver uma Jornada em Passo Fundo. E é muito simbólico estar aqui na semana em que ela aconteceria neste ano”, comentou a escritora, que também ressaltou a importância do Prêmio Sesc, que proporciona aos escritores vencedores viajar pelo país para encontrar leitores e falar sobre as obras.

Ainda participaram do encontro a também coordenadora das Jornadas Literárias, professora Dra. Fabiane Verardi, a gerente do Sesc Passo Fundo, Aline Pasquetti e a gestora cultural do Sesc, Andressa Pagnussat de Quadros. Também prestigiaram o evento estudantes da Escola Estadual Mário Quintana, acompanhados da professora Adiles Moreira, bem como alunos do curso de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da UPF.

“As coisas”
Falar de coisas do cotidiano de forma natural é o que marca os contos da obra do porto-alegrense Tobias Carvalho, uma narrativa que aborda vivências humanas homoafetivas em tempo de individualismo, redes sociais e aplicativos de encontros. Como define a escritora Letícia Wierzchowski, “As coisas não é um livro bonzinho. Não há maquiagens para a solidão nem disfarce para o sexo”. 

“Entre as mãos”
O primeiro romance da carioca Juliana Leite tem uma narrativa ousada. A voz é do inconsciente do personagem, algo muito inovador na literatura. A obra apresenta uma tecelã que utiliza as mãos para sobreviver. Depois de sofrer um acidente, a mulher precisa retomar o cotidiano, levando cicatrizes do corpo e da vida.