Geral

Debate on-line discute a história patrimonial de registros de óbito

09/06/2020

18:12

Por: Assessoria de Imprensa

Fotos: Reprodução

Os projetos Museu a Céu Aberto, Arquivos em Foco e Rede de Pesquisa em Acervos e Patrimônio Cultural da Universidade de Passo Fundo (UPF) promovem, no dia 22 de junho, a partir das 16h, um debate on-line sobre o tema “Morrer em São Borja: organização, descrição, e acesso digital a documentos históricos”. O debate poderá ser acessado por meio do link us02web.zoom.us/j/88431530675.

O debate sobre os registros de óbito, digitalização, classificação e análise de dados histórico-sociais, contará com a participação do professor Dr. Janilton Fernandes Nunes, que falará sobre os procedimentos de organização das fontes para sua análise da tese doutoral. A atividade conta com o apoio da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais (ABEC) e articula-se a projetos, núcleos e pesquisas do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH/UPF).

Sobre a Rede

A Rede de Pesquisa em Acervos e Patrimônio Cultural é coordenada pela professora Dra. Gizele Zanotto (UPF) que explica que o Patrimônio Cultural assumiu, a partir da segunda metade do século XX uma progressiva importância. “Discutida em diversos âmbitos e sob uma diversidade de olhares, a temática tornou-se vetor de múltiplas abordagens e problematizações por profissionais da área de arquitetura, sociologia, antropologia, arqueologia, história, direito, entre outras. Esse fenômeno possibilitou que o conceito de Patrimônio fosse apresentado, discutido e articulado em diversas dimensões em eventos, publicações e projetos nas últimas décadas”, explicou.

No rol de itens entendidos como patrimônios culturais estão os acervos documentais, bibliográficos, imagéticos, arqueológicos, artísticos e museológicos, bem como as coleções, em suas múltiplas tipologias. Diante desse panorama, foi criada a Rede de Pesquisa em Acervos e Patrimônio Cultural, vinculada ao escopo da Linha Cultura e Patrimônio do PPGH/UPF, bem como, mais diretamente, ao Núcleo de Estudos de Memória e Cultura (NEMEC).

De acordo com a professora Gisele, a Rede é pautada pela compreensão de articulações políticas culturais e patrimoniais em voga no país, estado e municípios e pretende reunir profissionais, pesquisadores e interessados, ligados a lugares de memória regional, para potencializar a troca de saberes e de técnicas, bem como a instrumentalização progressiva. “A proposta contempla o investimento em oficinas, discussão de textos, debates, troca de experiências entre membros do grupo, mas também a colaboração de especialistas que possam melhor capacitar as equipes”, disse.

Interessados em ingressar na Rede podem entrar em contato pelo email gizele@upf.br

INSCREVA-SE