Notícias UPF

Aplicativo visa auxiliar o cuidado aos pacientes com hipertensão arterial

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Jéssica França

Projeto realizado nos Programas de Pós-Graduação em Computação Aplicada e em Envelhecimento Humano da UPF tem o intuito de criar uma plataforma para monitorar as condições de saúde de pacientes com hipertensão arterial

A Universidade de Passo Fundo (UPF) é uma instituição de ensino superior que incentiva o desenvolvimento de pesquisas que, mais do que gerar conhecimento, tenham o propósito de que os trabalhos sejam vistos como uma ação educativa, promotora da construção e reconstrução do conhecimento. Nesse sentido, o Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada (PPGCA), em conjunto com o Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano (PPGEH), desenvolve o projeto “Sistema e-Lifestyle: uma solução e-Health para monitoramento das condições de saúde de pacientes hipertensos”.

O estudo, que conta com a parceria da Secretaria de Saúde de Passo Fundo e da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), visa desenvolver uma plataforma e-Health, bem como avaliar os efeitos de seu uso nas condições de saúde de pacientes com hipertensão atendidos na rede pública de saúde. Conforme a coordenadora do projeto, professora Dra. Ana Carolina Bertoletti De Marchi, a plataforma consiste em um aplicativo para smartphone, destinado aos pacientes; uma interface web, para acesso aos profissionais da saúde; e um servidor, que centraliza os dados. “O projeto também se propõe a desenvolver um dispositivo vestível para aferição de dados fisiológicos de batimentos cardíacos e para uma resposta galvânica da pele e pedômetro”, conta.

Situação atual do projeto
Com uma equipe interdisciplinar, composta por profissionais da saúde, professores pesquisadores, alunos e egressos das áreas da Computação, Enfermagem, Nutrição e Medicina, atualmente, o projeto está na fase de protótipo. “Hoje, contamos com um protótipo que foi desenvolvido pelos alunos dos cursos de Ciência da Computação e do PPGCA. Ele está sendo usado por pacientes com hipertensão atendidos em duas Unidades Básicas de Saúde de Passo Fundo. Estamos conduzindo ensaios clínicos com o objetivo de avaliar os efeitos do uso da plataforma nas condições de saúde desses pacientes, além de avaliar a experiência do usuário no uso da solução. Resultados preliminares desses estudos pilotos apresentam indícios de que o uso do aplicativo pode melhorar os níveis da pressão arterial”, relata Ana Carolina.

O próximo passo da pesquisa, de acordo com a docente, é desenvolver a versão funcional da plataforma para disponibilizá-la ao Sistema Único de Saúde (SUS). “Ela ficará disponível aos usuários da rede pública de saúde de Passo Fundo. O aplicativo poderá ser baixado no Play Store, mas será preciso que o usuário tenha o acompanhamento de um profissional de saúde”, comenta Ana Carolina.

Estudo aproxima universidade da comunidade
O projeto “Sistema e-Lifestyle: uma solução e-Health para monitoramento das condições de saúde de pacientes hipertensos” foi aprovado na chamada MS-SCTIE-Decit/CNPq nº 12/2018 – Pesquisas de inovação em saúde, na qual foram aprovados 18 projetos de todo o Brasil. O estudo recebe o apoio do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (CNPq/MCTIC).

A chamada objetivou apoiar projetos de pesquisa que visem contribuir significativamente para a inovação em saúde do país, em temas relacionados à melhoria das condições de saúde da população brasileira. No final do mês de abril, o projeto foi apresentado no Seminário de Avaliação “Marco-Zero”, que ocorreu no CNPq, em Brasília. Na oportunidade, os 18 projetos aprovados receberam contribuições dadas por especialistas, representantes das áreas técnicas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Ministério da Saúde. O encontro teve o intuito de monitorar os projetos financiados pelo Ministério da Saúde.

Na opinião de Ana Carolina, espera-se, com o estudo, contribuir com o desenvolvimento de pesquisas de cunho científico e de inovação tecnológica, por meio da disponibilização escalonada ao SUS de uma solução e-Health destinada à melhoria das condições de saúde da população brasileira. “Com o potencial das soluções e-Health de transformar a forma da prestação de serviços de saúde e a grande difusão de aplicativos voltados ao monitoramento das condições de saúde, uma solução desenvolvida no meio acadêmico brasileiro apresenta-se como uma forma de aproximação com a sociedade, suas necessidades e demandas”, finaliza.