Sobre o PPG

Objetivo
Formar pesquisadores, docentes e profissionais para atender às demandas educacionais, biológicas, psicossociais e de inovação tecnológica, contribuindo para a produção e socialização de conhecimentos de natureza interdisciplinar e multidimensional do envelhecimento humano. 

Público-alvo
O Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano é destinado aos graduados das mais diversas áreas do conhecimento (Ciências da Saúde, Ciências Biológicas, Ciências Exatas, Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas ou Engenharias), que desejam adquirir conhecimentos em Geriatria e Gerontologia, aplicando-os à essência de sua formação.

Histórico
O PPGEH foi proposto, implementado e executado a partir do princípio epistemológico-metodológico interdisciplinar.  Foi aprovado na modalidade mestrado acadêmico com conceito 3 pelo Conselho Técnico-Científico da Capes, nas reuniões realizadas nos períodos de 21 a 25 de julho (102ª reunião), e de 9 e 10 de dezembro (106ª reunião) de 2008 e reconhecido pelas Portarias MEC nº 589 e 590, de 18 de junho de 2009. 

O propósito do programa é transformar o processo do envelhecimento em objeto do saber científico. Desde a sua aprovação, estudos acadêmicos e técnicos foram maciçamente desenvolvidos sobre o processo de envelhecer. As justificativas que deram embasamento as dissertações e produções técnico-científicas desenvolvidas, fundamentadas por teorias biopsicossociais, sempre objetivaram a busca da compreensão do fenômeno do envelhecimento, tanto pelo prisma do aumento demográfico quanto pelas repercussões que advém desse fenômeno. 

O programa, desde a sua composição original, é formado por um corpo docente que contempla as prerrogativas para o desenvolvimento de pesquisas interdisciplinares, pois considera em seu quadro pesquisadores com formação nas ciências exatas, humanas, saúde e sociais aplicadas. Os docentes têm formação em áreas como biologia, computação, economia, enfermagem, filosofia, fisioterapia, história, matemática, psicologia, nutrição, farmácia, educação e odontologia.

No histórico do programa, no período 2010-2015, a média de alunos matriculados foi de 52,6, de titulados 25 alunos por ano e de alunos matriculados por docente permanente foi de 4,8. Quanto à formação, o programa ao longo de sua história tem recebido profissionais de diversas áreas do conhecimento, tais como, biomedicina, educação física, enfermagem, estética e cosmética, farmácia, fisioterapia, fonologia, medicina, odontologia, nutrição, pedagogia, podologia, psicologia, quiropraxia e serviço social. Tal conjuntura reflete a diversidade das áreas e subáreas do conhecimento, bem como dos recursos humanos titulados “Mestre em Envelhecimento Humano”. Os egressos são absorvidos, com grande expressividade, tanto para o setor privado acadêmico quanto para o setor público não acadêmico. Uma parcela significativa tem seguido em estudo nos cursos de doutorado.