Notícias UPF

Capes aprova doutorado em Envelhecimento Humano da UPF

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Curso abrange duas linhas de pesquisa: “Gerontecnologia” e “Aspectos biopsicossociais do envelhecimento humano”. Com essa aprovação, a UPF passa a contar com sete doutorados institucionais

O Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo (PPGEH/UPF) teve o curso de doutorado em Envelhecimento Humano aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) neste mês de outubro. O objetivo do programa é formar pesquisadores, docentes e profissionais para atender a demandas educacionais, biológicas, sociais e de inovação tecnológica, contribuindo para a produção e a socialização de conhecimentos de natureza interdisciplinar e multidisciplinar do envelhecimento humano. 

A proposta do doutorado tem como área de concentração “Envelhecimento humano, saúde e sociedade”, com duas linhas de pesquisa: “Gerontecnologia” e “Aspectos biopsicossociais do envelhecimento humano”. 

A Universidade conta com um corpo docente formado por profissionais que são referência nas áreas de abrangência dos programas, reconhecidos pela qualidade e pela inovação das pesquisas que realizam e pela produção científica consistente, disponível em publicações nacionais e internacionais. Além disso, destaca-se pela infraestrutura, por meio de laboratórios, centros de pesquisa e acervo bibliográfico. “Essas conquistas da UPF são um reconhecimento pela excelência acadêmica da Universidade, construída ao longo de seus 50 anos de história. A aprovação do doutorado em Envelhecimento Humano reafirma o compromisso da UPF no investimento que está sendo feito na pós-graduação stricto sensu, atendendo a uma demanda da realidade de uma população que envelhece e que requer pessoas com formação cada vez mais qualificada”, afirmou a reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin.

O PPGEH, criado em 2009, com o curso de Mestrado, visa a uma maior aproximação e colaboração da Universidade com os serviços de saúde, em particular a partir da contribuição com estudos que subsidiem políticas públicas e novas práticas cotidianas que levem à projeção do envelhecimento com qualidade de vida para a população. 

A coordenadora da Divisão de Pós-Graduação Stricto Sensu, professora Dra. Rosa Maria Locatelli Kalil, ressalta que o processo para a criação do doutorado estava sendo pensado há vários anos e quando o Programa atingiu o conceito 4 da Capes – o que evidencia a qualidade e a consolidação do PPGEH –, a proposta se tornou mais viável. “É um programa do tipo interdisciplinar, primeiro programa desse tipo na UPF, porque ele engloba vários aspectos do envelhecimento humano. O doutorado constitui-se um processo de formação tanto para os profissionais vinculados à área da saúde quanto para aqueles ligados mais especificamente a questões sociais e humanas”, destacou Rosa.

A área de envelhecimento humano é promissora e o doutorado representa uma conquista para a Universidade e também para a comunidade regional e estadual, ampliando a qualificação dos profissionais desse campo. “Essa aprovação representa muito. É uma consolidação da pós-graduação da UPF, que oferta uma formação de alto nível. O envelhecimento humano tem uma grande demanda em função do próprio prolongamento da vida humana, da maior preocupação com as condições de vida, tanto em relação à prevenção quanto no que refere à terapia, bem como à melhoria do bem-estar das pessoas. Com certeza, teremos candidatos da região de Passo Fundo e de outros estados”, enfatizou a coordenadora da Divisão de Pós-Graduação Stricto Sensu, ressaltando que a estimativa é que a primeira seleção do doutorado em Envelhecimento Humano ocorra em 2019, mas dependerá das definições da coordenação e do colegiado do Programa.

A Universidade está articulada com uma política nacional de pós-graduação, atendendo aos critérios de qualidade da Capes, órgão nacional que avalia e regulamenta a certificação na área. Atualmente, a UPF conta com 15 programas de pós-graduação – que oferecem 15 cursos de mestrado e, agora, 7 de doutorado, além da possibilidade de realização de estágio pós-doutoral –, que proporcionam aos discentes um alto nível de qualificação, seja para o trabalho em empresas ou instituições públicas e privadas, seja para a área acadêmica ou da pesquisa. 

Conheça todos os diferenciais dos cursos de mestrado e doutorado da UPF acessando www.upf.br/ensino