Notícias UPF

A pesquisa e a extensão como ferramentas de aprendizado

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Integrado UPF recepcionou bolsistas e orientadores do Pibic e Paidex Jr.

A oportunidade de estar em contato com a área na qual pretendem seguir carreira, tirando dúvidas e aprendendo com pesquisadores e professores, é disponibilizada para os alunos do Centro de Ensino Médio Integrado (Integrado UPF) em diversos momentos ao longo de sua formação. Nesse sentido, na tarde desta quarta-feira, 21 de março, os bolsistas do Programa Institucional de Iniciação Científica (Pibic) e do Programa de Apoio Institucional a Discentes de Extensão e Assuntos Comunitários (Paidex Jr) foram recepcionados pela direção, pela coordenação e por professores. Os Programas são vinculados à Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio da Vice-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e da Vice-Reitoria de Extensão. 

De acordo com o vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Leonardo José Gil Barcellos, a oportunidade é importante por possibilitar que alunos do Ensino Médio possam interagir com os alunos da graduação, mestrado e doutorado e mesmo com pós-doutorandos.  “Esse é um programa que só dá certo! Se o aluno se encontra e tem sucesso, ótimo. Se por acaso não se agrada ou não consegue bom desempenho na área escolhida, essa experiência pode ajudá-lo de maneira decisiva em sua escolha profissional. Enfim, é uma experiência única que pode mudar uma vida” pontua Barcellos.  

Para a vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários, Bernadete Maria Dalmolin, a experiência promove excelência no aprendizado. “Incentivar os alunos do ensino médio a participar da extensão e da pesquisa possibilita colocá-los em contato com uma infinidade de oportunidades de novas descobertas num momento em que estão definindo seu interesse por uma área do conhecimento. Ganham todos que se predispõem a essas experiências”.

De acordo com o diretor do Integrado UPF, Jonir Dalbosco, a Divisão de Pesquisa divulga as áreas ou linhas disponibilizadas pelos programas de pós-graduação e o Integrado UPF realiza a seleção dos alunos. “A escola precisa estar sempre em movimento, na interdisciplinaridade, nos conhecimentos e relações, e a participação dos alunos nos programas é de extrema importância para a formação pessoal e profissional. Somos a única escola de Passo Fundo que proporciona a inserção em programas de pós-graduação e de extensão e isso obviamente só acontece porque estamos dentro de uma universidade com todas as possibilidades de cursos e o Integrado”, comentou. 
O projeto está no quarto ano e possibilita que os alunos bolsistas dediquem 10 horas semanais para o desenvolvimento do trabalho, sendo 8 horas presenciais e 2 horas de trabalho orientado. Os alunos recebem uma bolsa de R$ 250,00 todos os meses e o período da bolsa segue até dezembro de 2018. 

Segundo Dalbosco, um dos diferenciais dos programas é que, além de desenvolver competências, os alunos passam a ter mais responsabilidade, comprometimento e amadurecimento. “Os alunos já escolhem a área que têm pretensão de seguir. Alguns acabam concretizando, definindo o que querem; outros percebem que não era aquilo que queriam. Dessa forma, os alunos saem muito mais preparados da escola e com muito mais convicção a respeito do curso no qual desejam ingressar no ensino superior”, afirmou.