Projetos linha 2

Proteção de plantas: biologia, resistência e controle de plantas daninhas

O projeto trata de ações de pesquisa e investigação na área da Ciência das Plantas Daninhas e abrange as diferentes relações de coexistência e controle das principais espécies daninhas que ocorrem no sistema de culturas regionais. A diversidade de espécies, a evolução nos casos de resistência e o surgimento de novas espécies que causam danos nas culturas justifica a execução desse projeto. Em biologia das plantas daninhas se busca identificar as exigências e padrões desenvolvimento e o impacto das diferentes espécies daninhas no rendimento das culturas. No controle busca-se avaliar as diferentes alternativas para a diminuição da população de plantas, integrando estratégias preventivas; culturais; mecânicas e químicas. Em resistência de plantas daninhas aos herbicidas busca-se identificar e caracterizar casos de resistência a partir de diferentes biótipos que são obtidos em processos de triagem de amostras coletadas nas diferentes áreas agrícolas da região, estado e país. Responsável: Prof. Mauro Antônio Rizzardi.

Ecofisiologia vegetal: Tecnologia De Cereais De Inverno E Forrageiras Em Sistema de Integração Lavoura-pecuária

Nesse projeto, são desenvolvidas pesquisas com ênfase no ajuste de manejo de espécies e cultivares em sistemas de produção agropecuários regionais com a popularização de uso de cereais de duplo propósito, conservação de forragens de espécies anuais de inverno, sobressemeadura de forrageiras de inverno em pastagens perenes, consorciações de forrageiras e com culturas anuais de verão. Ajustam-se técnicas de manejo de cereais de inverno de duplo propósito (forragem e grãos) e forrageiras destinadas à alimentação de ruminantes visando à sustentabilidade de sistemas de produção integrados (agricultura e pecuária). Práticas que incluem seleção de novos genótipos, estudos de época de semeadura e de adubação nitrogenada, consorciações, ensilagem, bem como estimativa do valor nutritivo.

Interação solo, planta e ambiente em sistemas integrados de produção agropecuária com ênfase em produção e qualidade do leite e carne bovídea

O fortalecimento gradativo da atividade agropecuária tem posicionado o Rio Grande do Sul em destaque no agronegócio brasileiro. O estado caracteriza-se por ser um dos principais produtores de grãos, carne e leite do país. Produzir de forma sustentável e atendendo as exigências dos consumidores é um desafio para consolidar o desenvolvimento proporcionado pelo agronegócio. O Rio Grande do Sul foi pioneiro na produção de grãos como trigo, milho e soja, inicialmente na região norte e noroeste do estado. Na década de 70, o leite foi integrado a produção de grãos com perspectivas de melhor renda por área cultivada. Atualmente, a produção agrícola vem se expandindo para regiões tradicionalmente ocupada pela pecuária de corte com a perspectiva de melhorar a renda e desenvolvimento social. Até o momento há poucos estudos que apresentem informações sobre as relações que o solo, a planta e a produção de carne e leite exercem entre si em sistemas integrados de produção agropecuária. Assim, o objetivo deste trabalho será estudar as interações em sistemas agropecuários buscando entender a influência de cada elemento (solo, planta e animal) sobre a produção e qualidade do leite e da carne. Espera-se que os novos conhecimentos e informações geradas resultem em benefício para técnicos e produtores melhorarem sua atividade laboral, a fim de adotarem medidas pró-ativas que estimulem a produção de alimentos em quantidade e qualidade com sustentabilidade. Responsável: Prof. Carlos Bondan.

Horticultura: Ecofisiologia, propagação e manejo de culturas hortícolas

O projeto contempla estudos sobre culturas frutíferas e olerícolas, com enfoque no cultivo em ambiente protegido e em substrato. Devido à natureza multifacetada dos agroecossistemas, as pesquisas desenvolvidas nesse projeto visam compreender os efeitos interativos da ecofisiologia, da propagação e do manejo de frutíferas e olerícolas e suas relações com biotecnologias, insumos agrícolas e fatores bióticos/abióticos. Os estudos abrangem os efeitos de manejos e tratos culturais na morfofisiologia, na fenologia, no potencial de produção e na qualidade de frutos em distintas cultivares. Também são desenvolvidas pesquisas que investigam o uso de biocarvão e fungos micorrízicos arbusculares (FMA) como bioferramentas no cultivo do morangueiro em substrato. Responsável: Prof. José Luís Trevizan Chiomento.

Proteção de Plantas: Etiologia, Epidemiologia E Manejo De Doenças Em Plantas

Objetiva elucidar sobre o agente etiológico e epidemiologia de doenças de plantas de lavoura, com ênfase em soja, milho e trigo visando recomendar as estratégias de manejo mais adequadas para cada patógeno. Responsável: Carolina Cardoso Deuner 

Diversidade de germoplasma e qualidade de sementes e grãos de espécies estratégicas para os sistemas agrícolas do sul e sudeste do Brasil

O projeto visa a pesquisa básica e aplicada de diversidade de germoplasma e de qualidade de sementes e grãos de espécies vegetais de importância agronômica para os sistemas agrícolas do Sul do Brasil. Almejam-se a geração de conhecimento para fins de melhoramento genético e o aumento de produtividade de cultivos, além do desenvolvimento de produtos e processos. São prioritárias, como objeto de pesquisa, as espécies vegetais de inverno, a aveia, a cevada e a canola e de verão, a soja. O projeto é composto por dois subprojetos: Sub-projeto 1 - Atributos de qualidade da semente e suas relações com a produtividade e Sub-projeto 2. Caracterização de germoplasma de espécies vegetais de importância agronômica quanto a sua diversidade genética e/ou resposta a estresses bióticos e abióticos. Responsável: Nadia Canali Lângaro

Proteção de plantas: Entomologia

Contempla as plantas de lavoura do sul do país, especialmente soja, milho e trigo, e os principais problemas de pragas que afetam a produção, como a lagarta Helicoverpa armigera, recentemente constatada no Brasil, e espécies de lagartas, percevejos e ácaros que atingiram o status de praga nos últimos anos. Os objetivos do projeto incluem a geração de conhecimentos sobre biologia, dinâmica populacional, critérios e táticas de controle, inclusive o uso de plantas geneticamente modificadas ("plantas Bt"), que permitam aperfeiçoar o manejo das pragas das plantas de lavoura.

INSCREVA-SE