Notícias UPF

Reitora da UPF coordena mesa no X Fórum Nacional de Enfermagem

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Caroline Simor

Professora Bernadete Maria Dalmolin participou do evento na manhã desta sexta-feira (9)

Nos dias 8 e 9 de novembro, profissionais, acadêmicos e professores participam do X Fórum Nacional de Enfermagem e do III Simpósio de Prevenção e Tratamento de Lesões Cutâneas. Os eventos, que ocorrem no Campus II da Universidade de Passo Fundo (UPF), são uma promoção do Grupo de Enfermeiros e do Grupo de Pele do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP). A reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, coordenou a mesa desta sexta-feira (9). A temática foi “Violência contra a mulher: limitações em saúde e estratégia para o enfrentamento”.

Enfermeira de formação, a professora Bernadete destacou que a participação no evento trouxe esperanças, uma vez que pôde observar vários de seus ex-alunos já atuando na área e buscando mais qualificação. 

Ela destacou que o tema escolhido para o debate é fundamental e que, cada vez mais, se faz necessária sua discussão. “É uma área ainda muito obscura, que precisa ser melhor desvendada. Para isso, precisamos de uma compreensão de saúde mais ampla, que transcenda o biológico, que capte as mais diferentes dimensões da vida humana e que tenha condições de apreender, dessa realidade vivida, no caso, pelas mulheres, tudo aquilo que pode fazê-las sofrer, ser feliz, ganhar autonomia e ter uma vida mais plena”, destacou, ressaltando a alegria de coordenar a mesa de debate com a Me. Jordana Brock Carneiro, enfermeira egressa da UPF.

Para Bernadete, a enfermagem é uma área que contribui significativamente para que sejam identificados os primeiros sintomas de violência, uma vez que é o profissional que mais tem contato direto com as diferentes realidades. “Muitas vezes, é o enfermeiro que consegue captar esses fenômenos complexos que vêm acompanhados de traumas e dificuldades, que nem sempre podem ser evidenciados em consultas ou exames. Por isso, é fundamental que tenhamos formação para auxiliar nesse processo, ajudando os demais profissionais que atuam na área da saúde a desvelar essa realidade, pensar em estratégias de enfrentamento e ajudar as mulheres a se emanciparem, tendo mais condições de ampliar as suas estratégias de vida”, pontuou.

O evento tem como objetivos proporcionar a troca de conhecimentos e experiências relacionadas às diversas frentes de atuação do enfermeiro. O tema central da programação é “Interfaces do cuidado: desafios da enfermagem na atualidade”.