Notícias UPF

Professor da UPF publica artigo em prestigiada revista de educação científica da Alemanha

  • Por: Assessoria de Imprensa

Dr. Claudio A. Dalbosco é um dos primeiros professores pesquisadores brasileiros da área da educação a publicar nessa revista com prestígio internacional

Baseada no filósofo frankfurtiano Axel Honneth e no suíço Jean Jacques Rousseau, o professor pesquisador da Universidade de Passo Fundo (UPF) Dr. Claudio Almir Dalbosco publicou artigo na Vierteljahrsschrift für wissenschaftliche Pädagogik, uma das mais importantes revistas da Alemanha e da Europa na área da educação. O trabalho intitulado “Condição humana e determinação virtuosa da vontade” (“Conditio humana und tugendhafte Willensbildung” título em alemão) trata da ideia moderna e atual de educação que visa investir na formação ética das novas gerações, considerando tal investimento um princípio indispensável para a construção de um mundo melhor, mais justo e menos corrupto. A publicação ocorreu na edição de agosto deste ano, abrangendo o espaço de 18 páginas. 

O professor Dalbosco, que é o atual coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) e é professor da Faculdade de Educação (Faed) e do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da UPF, atua na área da educação e filosofia há cerca de 30 anos. A Revista Vierteljahrsschrift für wissenschaftliche Pädagogik, fundada em 1925, publica ensaios que tratam, a partir de diferentes perspectivas teóricas, de problemas educacionais clássicos e atuais. Conforme Dalbosco, essa é uma das revistas alemãs da área da educação mais importantes na avaliação por pares, ou seja, pelo sistema no qual o autor submete o artigo à revista e o editor encaminha para dois avaliadores-cegos, ou seja, que não conhecem a autoria do trabalho. Eles avaliam rigorosamente o conteúdo do artigo, pronunciando-se com parecer justificado sobre a aceitação ou não do trabalho para publicação. 

O artigo, escrito em alemão pelo professor, é resultado de duas conferências proferidas, uma na Pädagogische Hochschule Karlsruhe (University of Education Karlsruhe) e outra na Universität Kassel, ambas na Alemanha, em janeiro de 2015. O trabalho insere-se no convênio internacional que a UPF assinou ainda em 2001 com a Universidade de Kassel, na qual o professor Dalbosco fez seu doutorado durante os anos de 1998 a 2001. Sendo parte da Bolsa Produtividade em Pesquisa (PQ) financiada pelo CNPq, o trabalho também está diretamente vinculado ao Núcleo de Pesquisa em Filosofia e Educação (NUPEFE) do PPGEdu/UPF (www.nupefeupf.blogspot.com), congregando vários alunos de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado.

Educação baseada no respeito recíproco, na generosidade e na solidariedade
O problema educacional com o qual Rousseau e os antigos estavam às voltas é, de certa forma, muito atual, pois diz respeito à formação ética do sujeito, para que ele possa viver da melhor forma possível consigo mesmo e com os demais. Por isso, a formação ética precisa se referir à educação virtuosa da vontade, fortalecendo o caráter para evitar de ser corrompido das mais diferentes formas. Nesse contexto, o professor Dalbosco destaca três valores essenciais. O primeiro refere-se ao respeito recíproco. “O ser humano que é formado desde sua infância com base no respeito da vontade virtuosa pensará muito para não instrumentalizar o outro, ou seja, para não tornar os pais, irmãos e amigos instrumentos daquilo que ele quer de maneira individualista”, ressalta o professor.

O segundo valor diz respeito à generosidade humana, ou seja, o compadecimento com o sofrimento dos outros. “Talvez essa seja uma das coisas mais difíceis para o ser humano, desde os tempos mais remotos até a atualidade: de que modo se colocar no lugar do outro, entender seu sofrimento e buscar auxiliá-lo onde for possível”, comenta Dalbosco, salientando ainda que “Uma sociedade cada vez mais individualista, baseada exclusivamente nos critérios da concorrência, eficiência por resultados e na rentabilidade econômica, torna a generosidade humana obsoleta”.

Por fim, o terceiro valor enfatizado pelo professor da UPF é a solidariedade. “Ser generoso significa fazer um esforço máximo para se tornar solidário ao outro, às instituições, à sociedade e à humanidade. O oposto da solidariedade é o individualismo, o qual toma conta do modo de vida contemporâneo”, enfatiza, destacando que “A formação ética do sujeito e das instituições combate o individualismo e a corrupção que corroem qualquer perspectiva solidária. Um sujeito extremamente ambicioso, individualista e com sua soberba inflamada instrumentaliza meios para alcançar fins que deseja”.

Mais informações sobre a Revista e seus últimos números publicados podem ser encontradas no seguinte endereço eletrônico: booksandjournals.brillonline.com/content/journals/25890581/94/3

Confira também uma versão prévia em língua portuguesa do referido artigo publicada no v. 40, n. 3, p. 799-812, de 2014, da prestigiada Revista Educação e Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP).