Notícias UPF

O cuidado com a saúde de quem cuida da cidade

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Reprodução

Projeto de extensão da UPF desenvolve campanha para descarte correto de luvas e máscaras para evitar a contaminação de recicladores pela Covid-19

Em meio à pandemia de Covid-19, cooperativas de reciclagem de Passo Fundo, se viram diante de um novo problema: o risco de contágio dos recicladores por meio de materiais recicláveis contaminados, como luvas e máscaras. Sensibilizados com essa situação, acadêmicos e professores participantes do projeto de extensão Agência de Comunicação Solidária - Célula da Universidade de Passo Fundo (UPF), em parceria com Associação das Entidades do Projeto TransformaAção, desenvolveram uma campanha publicitária para ajudar a cuidar da saúde de quem cuida da cidade.

A campanha Responsabilidade Coletiva - “O resíduo não usa máscara”, lançada nesta semana, nasceu, de acordo com a acadêmica do curso de Publicidade e Propaganda e bolsista do projeto, Gabriela do Nascimento Corso, da importância de ressaltar que há diversas formas de contágio, especialmente na relação entre as pessoas e na relação com as coisas. “Assim, percebeu-se que o ciclo dos resíduos não acaba quando você o joga fora, por isso, é de extrema importância a conscientização do descarte correto”, explicou a estudante acrescentando que, com a campanha, busca-se expandir as formas de descarte correto dos seguintes materiais: máscaras, luvas e outros utensílios com secreção, que também podem ser focos de contaminação.

Além do risco direto para os recicladores, os materiais contaminados, se forem descartados incorretamente, também podem contaminar todos os outros resíduos que são reciclados pelos catadores e trabalhadores das cooperativas. “Por isso, é muito importante, para não prejudicar o trabalho e a vida de quem cuida do meio ambiente, que os resíduos sejam descartados de maneira correta. Cuidar da vida daqueles que cuidam da nossa cidade e do meio ambiente”, disse.

Para o coordenador de Formação do Projeto Transformação, Iltomar Siviero, o vírus pode permanecer vivo em um resíduo por até cinco dias. “Por isso, descarte de resíduos não é de menor importância. É importante a população saber e ter o cuidado nessa dimensão, olhando para a disseminação e contágio em escala global e não apenas parcial como tem sido prioritariamente disseminado nas medidas adotadas. A questão de fundo é: Como uma pessoa pode se contaminar?”, pontuou. Segundo Siviero, ao se ter consciência que o contágio e disseminação do vírus se dá também pelo contato com os objetos ou resíduos, deve-se intensificar os cuidados. “O trabalho dos recicladores exige atenção e cuidados, agora redobrados por estarem em situação de risco duplo (contato com pessoas e resíduos). A atenção e os cuidados de população, portanto, devem começar desde o processo de embalagem dos resíduos nas residências, estabelecimentos comerciais, vias públicas, entre outros”, pontuou.

Como deve ser feito o descarte
Para chamar atenção a essa questão, a campanha desenvolvida por estudantes e professores conta com áudios e materiais gráficos que serão usados nas redes sociais. A ação alerta que o descarte correto dos materiais contaminados seja feito na lixeira do banheiro, pois lá os resíduos já são contaminados e quem trabalha na reciclagem já tem conhecimento desta informação, além de os resíduos do banheiro terem um tratamento diferente dos demais. No entanto, antes de serem colocados na lixeira do banheiro, é necessário que sejam colocados em um saquinho plástico todos os materiais contaminados usados durante o dia. Depois disso, poderão ser descartados juntamente com os resíduos contaminados do banheiro. 

Projeto TransformaAção
A Associação das Entidades do Projeto Transformação é uma instituição sem fins lucrativos engajada nas causas sociais e ambientais. Fundada em 2007, tem como objetivo congregar pessoas jurídicas e físicas com o propósito de promover atividades direcionadas à articulação de preservação do meio ambiente, inclusão social e econômica de pessoas, tendo como objetivo principal cuidar da vida, natureza e das pessoas. Entre seus programas de atuação, auxilia e ampara sistematicamente as cooperativas de recicladores em Passo Fundo: Cootraempo, Coama e Recibela. Além da campanha lançada nesta semana, a Agência Célula já desenvolveu uma série de ações em parceria com o projeto. Entre eles, está uma campanha de descarte de resíduos recicláveis desenvolvida recentemente para a Coama.