Notícias UPF

Estudo avalia a produção e o consumo sustentáveis na Feira do Produtor de Carazinho

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

A Feira do Produtor de Carazinho, além de ser um canal de distribuição que favorece a comunidade local a ter acesso aos alimentos saudáveis e frescos, também leva em consideração inúmeros fatores sociais, ambientais e econômicos em prol do desenvolvimento sustentável. Nesse sentido, é possível perceber que um canal de distribuição fortalecido contribui com a produção e o consumo sustentável, bem como auxilia na valorização do jovem do campo. Contribui também com o empoderamento da mulher na atividade, com a renda, o fomento das agroindústrias, a qualidade de vida e o cuidado com o meio ambiente. Atenta a essas questões, a estudante do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Passo Fundo (PPGEng/UPF) Leila Dal Moro desenvolve sua tese de doutorado “Agenda do desenvolvimento sustentável: produção e consumo responsáveis no Corede Produção”, na qual volta um olhar atento para a produção e para o consumo sustentáveis na Feira.

Segundo ela, um grande potencial da Feira do Produtor de Carazinho é levar em consideração o fortalecimento de produtores urbanos e das agroindústrias, que, além de contribuir com a quantidade na produção de alimentos, favorece na diversificação desses produtos. “A Feira ficou estagnada por mais de 20 anos, deixando de comercializar os produtos e alimentos oriundos da agricultura familiar local. Hoje, após um ano de retomada, ela está em forte ritmo de crescimento. A Secretaria de Agricultura, juntamente com a Emater e os produtores, visa estimular o setor e valorizar o contato direto do produtor com o consumidor. Desse modo, inúmeras ações e iniciativas sustentáveis em prol da comunidade local e do meio ambiente estão sendo colocadas em pauta para fomentar a Feira, que atualmente ocorre na praça central do município todo sábado pela manhã e na primeira quarta-feira do mês na UPF Carazinho”, comenta.

Ainda, conforme Leila, um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS 12), lançados pela ONU em 2015 com metas para os próximos 15 anos, leva em consideração a produção e o consumo responsáveis. “Com isso, parcerias e iniciativas devem ser levadas em consideração e implementadas localmente em prol da sociedade e do meio ambiente na busca pela segurança alimentar global”, relata.

A tese da aluna recebe a orientação da professora Dra. Luciana Londero Brandli.