Notícias UPF

Museus participam da V Semana do Conhecimento da UPF

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Atividades e projetos desenvolvidos pelo Museu Histórico Regional (MHR) e pelo Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (MAVRS), vinculados à Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade de Passo Fundo (VREAC/UPF), foram apresentados na V Semana do Conhecimento, que ocorreu de 1º a 5 de outubro. Promovida pela UPF por meio de processos dialógicos, de vivências e experiências, que visam fortalecer e consolidar espaços de troca de conhecimento e saberes, a atividade teve como tema “Construindo conhecimentos para a redução das desigualdades”. 

Durante a V Semana do Conhecimento, os funcionários e estagiários do MHR exibiram suas propostas de trabalhos. A estagiária e acadêmica do curso de História, Raíssa Gehring, apresentou o trabalho “Museus como fonte de pesquisa histórica: o caso do Museu Histórico Regional”, sob a orientação da coordenadora do MAVRS, Tânia Aimi. O também estagiário e acadêmico de História Bruno Almeida apresentou o trabalho “Acervo do Museu Histórico Regional como fonte histórica: fotografia, análise, leitura e possibilidades de interpretação”, sendo orientado por Tânia Aimi, enquanto Débora Bueno e Patrícia Vivian apresentaram o projeto “Museu Móvel”, que também foi orientado por  Tania Aimi.

A oficina de arteterapia, realizada em parceria com o curso de Artes Visuais, o Programa Comunidades Sustentáveis, o projeto Projur Mulher e Diversidade e com o MAVRS, também foi apresentada durante o evento. A acadêmica do curso de Artes Visuais Raquel Manica, para isso, trabalhou a temática “Oficinas de arteterapia: grupo de mulheres da terceira idade revestem escadarias com mosaico”, e foi orientada pela professora Me. Mariane Loch Sbeghen.  

Almeida destacou a importância de informações a respeito do Museu e ações educativas para eventos como a Semana do Conhecimento “Levar essa demonstração para um espaço em que a gente vai estar com outros projetos, outros alunos e outras áreas, é entender a importância do Museu em si como uma instituição de ensino e como isso é importante para a sociedade”, disse. Para Raíssa, foi muito importante poder levar os trabalhos que vem realizando no MHR, um espaço de extensão com interação direta com a comunidade, para dentro da universidade. 

Rio Passo Fundo
Além da apresentação de trabalhos relacionados diretamente com os Museus, acadêmicos de outros cursos também utilizaram a temática em seus trabalhos: o acadêmico do curso de Ciência da Computação João Pedro Assunção Campos, sob a orientação do professor Me. Jaqson Dalbosco, apresentou o trabalho “Projetos UPF Morfologia e Museus”, e a acadêmica de Arquitetura e Urbanismo Isabela Rodighero apresentou “Maquete da bacia hidrográfica do Rio Passo Fundo - execução e técnicas para a confecção da maquete”. A estudante foi orientada pela professora Me. Raquel Rhoden Bresolin. Esses cursos são parceiros do Projeto Rio Passo Fundo patrimônio paisagístico, natural, ambiental, histórico-cultural, econômico e político - desenvolvido pelo Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (MAVRS), com o apoio do Museu Histórico Regional (MHR) e do Museu Zoobotânico Augusto Ruschi (Muzar), ligados à Universidade de Passo Fundo, patrocinado pelo Programa CAIXA de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro 2017/2018, que busca reconhecer o Rio Passo Fundo como parte essencial da sociedade. 

Sobre a Semana do Conhecimento
A Semana do Conhecimento nasceu de dois eventos já consolidados na UPF e que eram realizados de forma concomitante, sem necessariamente serem articulados entre si: a Mostra de Extensão (MEX) e a Mostra de Iniciação Científica (MIC). Além da riqueza do histórico das mostras de pesquisa e extensão, tem-se ampliado os diálogos junto a outros sujeitos e práticas da Universidade (Pibid, PET e PRÓ-Saúde, pós-graduação stricto e lato sensu, residências multiprofissionais em saúde, Integrado UPF e feira de ciências). 

Em comemoração aos 50 anos da UPF, a temática da edição deste ano leva à reflexão sobre o modo como a universidade contribui na constituição da realidade social, fazendo com que suas ações reflitam e façam refletir nossa vida em sua dimensão local, regional e global.