Notícias UPF

Exposição apresenta a origem do Museu de Artes Visuais Ruth Schneider

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Evelyn Biorchi/MAVRS

Mostra reúne em torno de 300 obras do acervo do MAVRS na maior exposição de arte já realizada em Passo Fundo

O Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (MAVRS), vinculado à Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade de Passo Fundo (VREAC/UPF), abriu as portas, na noite de quarta-feira, 7 de novembro, da sua mais nova exposição, a mostra “Gênese: a construção do acervo do Museu de Artes Visuais Ruth Schneider”. A exposição apresenta o início da construção do acervo do MAVRS a partir da doação das obras da artista Ruth Schneider, que hoje dá nome ao Museu. A abertura foi realizada no Portal das Linguagens, com a presença de autoridades, de corpo técnico do MAVRS e de professores e acadêmicos da UPF. 

Presente na abertura da exposição, o vice-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF, professor Dr. Rogerio da Silva, ressaltou a importância do espaço do Portal das Linguagens para fomentar a arte. “É mais uma alternativa que a comunidade acadêmica, de Passo Fundo e regional tem para visitar e conhecer as obras que fazem parte do acervo do Museu, e tudo aquilo que está sendo apresentado nesse trabalho que é tão importante para a Instituição. Cultura nunca é demais e ela tem que estar em diversos locais, e este é um deles”, disse.

O espaço escolhido para a montagem da exposição também foi lembrado na fala da diretora da Faculdade de Artes e Comunicação (FAC), professora Dra. Bibiana de Paula Friderichs. A diretora destacou ainda a importância da arte, que tem o papel de mobilizar transformações. “Que grata  alegria estar na direção da FAC nesse momento, no qual transformações tão importantes, tão intensas estão acontecendo, em um tempo em que vejo congraçamento de professores e acadêmicos e pessoas se dando a mão. A arte nunca foi tão importante quanto agora. É através dela que nós vamos conseguir mobilizar transformações. Também fico muito feliz por ver o Portal das Linguagens sendo usado para o propósito para o qual ele foi idealizado, que é ser o espaço das linguagens. Esse lugar está transcendendo arte por todos os lados”, completou. 

Museu em movimento
Em exposição, estão cerca de 300 obras, das mais de 1,3 mil que fazem parte do acervo do Museu, entre esculturas, pinturas, desenhos, fotografias, videoarte e outros tipos de materiais. A mostra também apresenta grande parte do acervo da artista Ruth Schneider, que dá nome ao Museu. De acordo com a curadora da exposição, professora Luciane Campana, a exposição Gênese trata, basicamente, da origem do MAVRS. “A proposta inicial é mostrar a criação do Museu a partir da doação da obra da artista Ruth Schneider e de alguns amigos artistas que também fizeram uma doação para a professora Roseli Pretto, que organizou esse espaço”, explicou a professora.

Para contar essa história, a mostra reúne obras tanto da história de Passo Fundo, do Cassino da Maroca, criadas por Ruth Schneider, como de outros artistas conhecidos nacional e internacionalmente, como Maria Tomaselli. “Aqui, tem um panorama do Rio Grande do Sul desse período em que foi criado o MAVRS e algumas obras de artistas contemporâneos também. O nosso acervo hoje já passou de 1,3 mil obras. Aqui está esse início de criação”, pontuou. 

Essa é a primeira vez que a comunidade passo-fundense e regional têm a oportunidade de conferir uma exposição tão grande. Segundo a coordenadora do MAVRS, Tânia Aimi, o propósito da exposição é colocar o Museu em movimento e mostrar sua importância e a do seu acervo. Para Tânia, a exposição também é uma oportunidade para os acadêmicos do curso de Artes Visuais interagirem e aprenderem. “Nós temos uma diversidade de técnicas, uma diversidade de obras e isso é muito bom à medida que os professores podem trazer seus estudantes para cá e dar aulas aqui dentro. Aqui está tudo que eles precisam. O Museu é um espaço pequeno, limitado, mas nós pensamos em aproveitar o potencial que temos dentro da nossa instituição”, frisou a coordenadora. 

Espaço de aprendizagem
Antes mesmo de abrir, a exposição já foi espaço de aprendizagem para alguns acadêmicos e bolsistas Paidex do curso de Artes Visuais. Por meio da disciplina de Curadoria, os acadêmicos puderam participar do processo de montagem da exposição. “Nós temos, no curso de bacharelado, a disciplina de Curadoria, e nada mais justo do que eles fazerem o exercício de curadoria com o acervo do MAVRS”, contou a coordenadora do curso de Artes Visuais Me. Mariane Loch Sbeghen. O desafio dos acadêmicos foi tomar conhecimento das obras e fazer uma proposta expositiva, que foi validada na exposição. “O interessante é eles conseguirem trazer o ensino de sala de aula para um exercício em um museu e poder realmente aplicar, porque aqui as ideias deles estão aplicadas. O ensino se dá no momento em que o acadêmico se envolve e se sente parte desse processo e isso eles conseguiram fazer”, finalizou Mariane. 

Além dos acadêmicos e da equipe do MAVRS, a exposição também contou com a colaboração da coordenadora do curso de Artes Visuais e das professoras Me. Aline do Carmo e Me. Fabiana Beltrami. A exposição também é uma das mostras que integram as atividades paralelas ao Seminário Interinstitucional Direitos Humanos, Diversidade e Conscientização, que ocorre até o dia 9 de novembro na UPF.

Visitação
A exposição “Gênese: a construção do acervo do Museu de Artes Visuais Ruth Schneider” poderá ser visitada no Portal das Linguagens, localizado no Campus I da UPF, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17 horas. Nesta quinta e sexta-feira a exposição também abre à noite, das 19h às 21 horas. Já no final de semana, o público poderá visitar a exposição das 14h às 17 horas.